Flamengo deve votar na semana que vem contrato com a Adidas, o maior do Brasil



Depois de muitos adiamentos por divergências pontuais e pelo processo eleitoral, o Flamengo deverá votar na semana que vem o contrato de fornecimento de material esportivo com a Adidas após sete meses de negociações. A diretoria pediu e o presidente da Olympikus, Pedro Grendene, aceitou prorrogar o prazo de pagamento da multa rescisória de R$ 3 milhões para o dia 21 de dezembro. O valor será pago para antecipar para dezembro a quebra de vínculo que iria até o fim de 2014.

– O Flamengo conseguiu estender o prazo para o pagamento. Provavelmente vai ser votado na semana que vem. Não sei. A nova diretoria vai decidir isso – explicou Hélio Ferraz, vice presidente geral do Flamengo à De Prima.

A expectativa é de que o documento seja encaminhado para votação no Conselho Deliberativo até o fim da semana que vem, já com o novo presidente do Deliberativo eleito. Nos últimos dias o novo departamento de marketing, liderado pelo vice de planejamento e marketing, Luiz Eduardo Baptista, está revisando as mais de 90 páginas do vínculo que pode ser fechado por dez anos, com o valor de R$ 363 milhões, o maior contrato em fornecimento de material do Brasil.

– Estamos analisando o contrato e fazendo algumas ponderações. Vamos preparar um relatório e entregar para o Luiz Eduardo Baptista. Não posso falar nada sobre o que está sendo analisado. Só mais para frente saberemos quando esse contrato será votado – explicou João Henrique Areais, membro da Chapa Azul responsável pelo marketing, à De Prima.

Alguns pontos, contudo, ainda estão sendo negociados entre as partes. Na segunda-feira a diretoria do Flamengo e os diretores da Adidas discutiram alguns pontos ainda que precisam ser alinhavados.

Aliados de Eduardo Bandeira, presidente eleito na eleição do dia 3 de dezembro, e que tomará posse no início de janeiro, concordam em fechar o contrato por dez anos porque consideram favorável para a vida financeira do clube. A internacionalização da marca do Flamengo prometida pela multinacional é considerada importante. A nova diretoria, no entanto, pretende aumentar a premiação em caso de título conquistado pelo clube.

Luiz Eduardo Baptista quer garantir em contrato de que o Flamengo poderá rediscutir e adequar o valor do contrato de acordo com o crescimento do mercado. A preocupação da nova diretoria é de não assinar um contrato bom para os primeiros anos, mas que fique defasado com o passar dos anos.

A demora para fechar o acordo também pode prejudicar o desenvolvimento dos produtos para o Campeonato Brasileiro, quando entra em vigor o contrato com a Adidas, caso seja aprovado no conselho. A empresa alemã terá somente cerca de cinco meses para a confecção das peças, considerado escasso para o número que o clube precisa.

Maior contrato do Brasil

Recentemente o Corinthians renovou o contrato com a Nike por dez anos no valor de 300 milhões por dez anos, o que deixa o Flamengo, caso aprove no Conselho Deliberativo, soberano em parceria de fornecimento de material esportivo no Brasil. Com a vantagem de ser colocado com um dos clube Classe A da Adidas, junto com Real Madrid, Milan, Chelsea.

Além do pagamento de R$ 13 milhões para acertar a multa rescisória com a Olympikus, a Adidas se comprometeu em acertar mais R$ 25 milhões em luvas já no ano que vem. Nos cinco primeiros anos o Flamengo vai receber R$ 30 milhões por ano, sendo R$ 12,5 milhões pela exclusividade, R$ 8 milhões em fornecimentos de produtos, R$ 8 milhões de garantia mínima de recebimento de royalties (variável por venda)e R$ 1,5 milhão em ações de marketing.

Nos últimos cinco anos receberá R$ 35 milhões, R$ 17,5 milhões pela exclusividade, R$ 8 milhões em fornecimentos de produtos, R$ 8 milhões de garantia mínima de recebimento de royalties e R$ 1,5 milhão em ações de marketing.

Maiores contratos do país:
Flamengo: R$ 35 Milhões por ano
Corinthians: R$ 30 milhões
Internacional: R$ 15 milhões
São Paulo: R$ 13 milhões

 

 



MaisRecentes

‘Rainbow Six Pro League’, no Rio de Janeiro, neste fim de semana, terá premiação milionária



Continue Lendo

Superintendente garante que não há obstáculos para construir no campo do Everest



Continue Lendo

Detalhe técnico pode impossibilitar obra no campo do clube Everest



Continue Lendo