Djalminha tenta levar Kaká ao Flamengo



A pedido do candidato Jorge Rodrigues, seu amigo, o ex-meia Djalminha, dois meses atrás, deixou apalavrada com o pai do meia Kaká uma negociação para o jogador atuar pelo Flamengo. O início da negociação ficou dependendo de três fatos, dois confirmados: Kaká continuar sem espaço no Real Madrid e o clube espanhol de dispor a cedê-lo por pouco. A terceira, a conferir, é Rodrigues vencer a eleição do Flamengo, depois de amanhã.

Apoios
A chapa Rosa, de Jorge Rodrigues, alardeou durante o dia que tinha atraído os membros da extinta chapa de Ronaldo Gomlevsky, que renunciou e apoiou a Chapa Azul. Mas, de fato, só cerca de sete membros da cúpula da chapa foram ao jantar com Rodrigues. Um era Evaristo de Macedo, que disse não apoiar ninguém.

Caçada no Tricolor
O conselheiro do Fluminense Paulo Cesar Ferreira já juntou as 30 assinaturas necessárias para realizar uma reunião extraordinária do Conselho Deliberativo para votar a cassação do título de benemérito do ex-presidente Roberto Horcades. Ferreira quer punir Horcades por atrasar maciçamente o pagamento de impostos.

Decolou
A campanha de mídia para o programa Brahma de desconto dos sócios torcedores irá ao ar no dia 14 de janeiro. Do início desse programa de descontos, participarão Ambev, Pepsico, Unilever, Seara e Sky e também as principais redes de supermercados do país. A campanha começará pelo Sudeste e logo será estendida pelo país.

Desbalanceado
Depois de dizer que tudo caminhava bem, membros da diretoria do Vasco já admitem que podem não entregar o balanço de 2011 corrigido no prazo de 60 dias concedido pelo Conselho Deliberativo – que acaba em três semanas. Ao contrário do que dissera o vice Aníbal Rouxinol, as questões sobre a Penalty e a Torcedor Afinidade ainda estão enroladas.

Buraco reprovado
O Palmeiras registrou déficit de R$ 4,2 milhões apenas no mês de outubro deste ano. Por falta de detalhamento dos documentos, as contas desse mês foram reprovadas pelo COF por 12 a 0, com quatro abstenções. Mas o déficit não está impedindo o presidente Arnaldo Tirone, a 50 dias do fim do mandato, de fazer gastos não programados.

Azarão
O conselheiro Sergio Moyses está virando a novidade na campanha eleitoral do Palmeiras. Com baixa rejeição, já calcula ter uns 30 a 40 votos certos. Com isso, já é ao menos o fiel da balança. Por ora, Moyses tem se recusado negociar uma vice-presidência na chapa de outros candidatos porque acha que ainda vai crescer.

Sinergia de shows
A OAS Arenas vai aproveitar o fato de que vai operar três estádios no Brasil (Arena Grêmio e os estádios de Natal e Salvador) para trazer megashows ao Brasil. Diz que garantindo pelo menos três apresentações, resolveria a questão do custo de tempo e dinheiro de fazer artistas cruzarem o mundo para se exibirem no Brasil.

Altar alviverde
Os presidenciáveis do Palmeiras ficaram quase duas horas em pé esperando Arnaldo Tirone para a reunião de anteontem. O presidente chegou após 19h e a cancelou o encontro. Foram os pré-candidatos Décio Perin e Paulo Nobre, mas o empresário Sergio Moyses outra vez foi desprezado.

DE LETRA
“Eu sou um piloto de um avião com 400 passageiros que perde os motores no meio do oceano. Que tempo tenho de perguntar sobre a qualidade do campo de pouso?”
Ronaldo Gomlevsky, dizendo por que desistiu de buscar a presidência do Flamengo sem ouvir quase ninguém



MaisRecentes

Gestão de associação coloca clubes de Santa Catarina na vanguarda do futebol



Continue Lendo

Internet e canais de filmes podem transmitir jogos do Brasileirão a partir de 2019



Continue Lendo

Zagueiro Igor Rabello pode deixar o Botafogo e se transferir para a Itália



Continue Lendo