Fluminense pretende aumentar participação dos torcedores com a criação do sócio- futebol



O Fluminense pode dar um grande passo para aumentar o número de sócios no sábado da semana que vem, dia 10 de novembro. Neste dia será votado durante a Assembleia Geral a reforma estatutária, cujo item central é a criação da categoria do sócio-futebol, proposta pela presidência do clube.

Na ocasião, os sócios terão de decidir se a ideia de mudança no estatuto será aprovada ou não. Caso seja aprovada, o clube poderá ganhar de forma imediata mais dez mil sócios – número projetado pelo diretoria – e dobrar o quadro associativo, que poderá melhorar a situação financeira do Tricolor.

– A ideia é incorporar os torcedores que não frequentam a sede do clube. Eles poderão participar da vida financeira e política do Fluminense. Hoje o clube tem 9 mil sócios e pelo menos 3 milhões de torcedores – disse Jackson Vasconcellos, superintendente executivo, à De Prima.

A categoria sócio-futebol pagará mensalidade menor e terá o direito de visitar os treinos do time profissional, a sala de troféus e o bar temático, mas não poderá frequentar as instalações da sede social, em Laranjeiras, como por exemplo a piscina que está sendo reformada. Este sócio, contudo, poderá votar para presidente após dois anos no quadro associativo. E se quiser, poderá migrar para outra categoria de sócio.

– Esses sócios, portanto, não poderão votar na próxima eleição (no fim de 2013). Terão de esperar pelo menos dois anos para ter esse direito – explicou Jackson Vasconcellos.

O Fluminense hoje tem dez categorias de sócios, entre elas a de sócio-torcedor e sócio-contribuinte. Segundo a exigência do novo Código Civil, a reforma do estatuto passou a ser feita pela Assembleia Geral, e não mais pelo Conselho Deliberativo. No dia 6, porém, foi marcada uma reunião no Conselho para apresentação e esclarecimentos sobre a proposta.

Mais dois itens serão votados

Além de acrescentar no estatuto a categoria de sócio-futebol, o presidente do Fluminense, Peter Siemsem, apresentou mais duas propostas para serem avaliadas pela Assembleia Geral: decidir uma melhor maneira de aprovar os uniformes e de mostrar o orçamento financeiro do clube.

– Hoje para aprovarmos a quarta camisa dependemos de ouvir o Conselho Deliberativo. Temos uma dificuldade enorme, porque a exposição tem que ser em sala fechada e temos risco de ter uma divulgação da marca antes – explicou Jackson Vasconcellos, sobre o segundo item que será avaliado, acrescentando como a diretoria do Fluminense pretende passar a apresentar o orçamento:

– Temos de aprovar uma nova maneira de mostrar o orçamento, na forma de fluxo de caixa. Exclusivamente contábil.

A Assembleia Geral é formada por sócios maiores de 16 anos, que estão no quadro social há mais de um ano e com as mensalidades em dia. Os sócios honorários, temporários, correspondentes, especiais, Atletas-adjuntos e Sócios-torcedores, assim como os Familiares Inscritos dos Sócios, não integram à assembleia.

*Atualizado às 14h47



MaisRecentes

Contestado no São Paulo, Aguirre pode dar lugar a Rogério Ceni no fim da temporada



Continue Lendo

Oposição vai pedir que Diego Alves permaneça no Flamengo



Continue Lendo

Oposição se enfurece com Bandeira de Mello e pode pedir a sua exclusão do Flamengo



Continue Lendo