Árbitros dizem que colegas apitam com ajuda da TV



Com medo de serem punidos caso cometam erros graves, alguns árbitros da Série A do Brasileiro estão improvisando acesso a recursos eletrônicos ilícitos, especialmente o replay da TV, durante as partidas. Com a ajuda do quarto árbitro e do delegado do jogo, esses árbitros recebem a informação do que aparece na transmissão.

Esse esquema é montado de forma autônoma por alguns árbitros e delegados, sem o conhecimento da comissão de arbitragem, que segue proibição da Fifa de usar esses recursos. Com medo de serem apanhados, ele só é posto em prática em lances muito graves, como pênalti ou gol, e em situações em que é possível esperar pelo replay, como um bate-boca em campo ou o atendimento de um jogador, o que ocorre numa minoria dos jogos (leia quadro a seguir) .

O LANCE! ouviu árbitros de diferentes categorias do quadro da CBF (hoje são seis, Fifa, Aspirante, Especial-1, Especial-2, CBF-1, e CBF-2). Todos disseram que o esquema existe, mas nenhum admitiu usar.

Um deles chegou a apontar nominalmente um colega. Como o LANCE! não conseguiu localizar esse profissional para que se defendesse, e como não foram apresentados indícios concretos, decidiu não publicar seu nome.

Todos disseram também acreditar que foi exatamente isso o que ocorreu na anulação do gol do palmeirense Barcos, contra o Internacional. Esta é a reclamação do banco de reservas do clube paulista.

Pressão
A criação desses esquemas embute uma reação dos árbitros contra o aumento das punições depois da chegada do novo presidente da comissão de arbitragem, Aristeu Tavares, inicialmente bem recebido por ser um dos mais respeitados assistentes das últimas décadas. Tavares é criticado nos bastidores por ter aumentado a cobrança sem ter dado condições para a arbitragem evoluir na mesma medida.

O LANCE! procurou a Confederação Brasileira de Futebol para saber a posição da comissão de arbitragem, mas não obteve resposta até a publicação desa reportagem. (Marcelo Damato)

.
.
.
COMO FUNCIONA O ESQUEMA

O método
Se tiver dúvida, o árbitro faz a marcação que interrompe o jogo. Enquanto escuta as reclamações, o observador de arbitrgem busca informação da TV e avisa ao quarto árbitro, que informa o árbitro. Se ele tiver errado, volta atrás.

Motivo
Evitar erros e desse modo punições. Não há intuito de fraude, ao contrário.

Limitações
O esquema só é aplicado em lances capitais e quando há a posibilidade de esperar pelo replay.

Confiança
Como o esquema é irregular, ele só é posto em prática quando o árbitro, o quarto árbitro e o observador tem confiança mútua. Os assistentes e adicionais nem sempre são avisados.



MaisRecentes

Oposição se enfurece com Bandeira de Mello e pode pedir a sua exclusão do Flamengo



Continue Lendo

Luiz Felipe Scolari pode ter contrato estendido até 2022 e depois virar manager



Continue Lendo

CBF deve se reunir com clubes para falar de manifestações políticas



Continue Lendo