Árbitros dizem que colegas apitam com ajuda da TV



Com medo de serem punidos caso cometam erros graves, alguns árbitros da Série A do Brasileiro estão improvisando acesso a recursos eletrônicos ilícitos, especialmente o replay da TV, durante as partidas. Com a ajuda do quarto árbitro e do delegado do jogo, esses árbitros recebem a informação do que aparece na transmissão.

Esse esquema é montado de forma autônoma por alguns árbitros e delegados, sem o conhecimento da comissão de arbitragem, que segue proibição da Fifa de usar esses recursos. Com medo de serem apanhados, ele só é posto em prática em lances muito graves, como pênalti ou gol, e em situações em que é possível esperar pelo replay, como um bate-boca em campo ou o atendimento de um jogador, o que ocorre numa minoria dos jogos (leia quadro a seguir) .

O LANCE! ouviu árbitros de diferentes categorias do quadro da CBF (hoje são seis, Fifa, Aspirante, Especial-1, Especial-2, CBF-1, e CBF-2). Todos disseram que o esquema existe, mas nenhum admitiu usar.

Um deles chegou a apontar nominalmente um colega. Como o LANCE! não conseguiu localizar esse profissional para que se defendesse, e como não foram apresentados indícios concretos, decidiu não publicar seu nome.

Todos disseram também acreditar que foi exatamente isso o que ocorreu na anulação do gol do palmeirense Barcos, contra o Internacional. Esta é a reclamação do banco de reservas do clube paulista.

Pressão
A criação desses esquemas embute uma reação dos árbitros contra o aumento das punições depois da chegada do novo presidente da comissão de arbitragem, Aristeu Tavares, inicialmente bem recebido por ser um dos mais respeitados assistentes das últimas décadas. Tavares é criticado nos bastidores por ter aumentado a cobrança sem ter dado condições para a arbitragem evoluir na mesma medida.

O LANCE! procurou a Confederação Brasileira de Futebol para saber a posição da comissão de arbitragem, mas não obteve resposta até a publicação desa reportagem. (Marcelo Damato)

.
.
.
COMO FUNCIONA O ESQUEMA

O método
Se tiver dúvida, o árbitro faz a marcação que interrompe o jogo. Enquanto escuta as reclamações, o observador de arbitrgem busca informação da TV e avisa ao quarto árbitro, que informa o árbitro. Se ele tiver errado, volta atrás.

Motivo
Evitar erros e desse modo punições. Não há intuito de fraude, ao contrário.

Limitações
O esquema só é aplicado em lances capitais e quando há a posibilidade de esperar pelo replay.

Confiança
Como o esquema é irregular, ele só é posto em prática quando o árbitro, o quarto árbitro e o observador tem confiança mútua. Os assistentes e adicionais nem sempre são avisados.



MaisRecentes

Após confirmação de Valentim em 2019, goleiro Martín Silva deve sair do Vasco



Continue Lendo

Arena da Baixada recebe evento com forças da segurança pública do Paraná



Continue Lendo

Justiça determina que eleição no Volta Redonda tenha urna para sócios ‘sub judice’



Continue Lendo