Funcionário pode ser crucificado por papelão do Palmeiras



Conselheiros do Palmeiras estão culpando um funcionário do departamento de Futebol como um dos responsáveis pela ausência do clube na reunião do Conselho Técnico, na úlima quinta-feira. Leonardo Piffer, supervisor do clube, recebeu a comunicação da FPF sobre a data e horário do encontro, mas, segundo conselheiros, não avisou ao superior, o vice de Futebol, Roberto Frizzo. Piffer era auxiliar de gerente Sérgio do Prado e foi promovido a supervisor quando este foi demitido a pedido de Felipão,  no final de 2011.

No ano anterior, o Palmeiras foi à reunião com dois representantes, Frizzo e Prado. Enquanto o primeiro representava oficialmente o clube, o segundo o assessorava sobre questões técnicas. Foi do entrosamento dos dois que o Palmeiras propôs – e foi aceito – que os auxiliares técnicos pudessem ficar no banco de reservas. Apesar de não ter bom relacionamento nem com Frizzo, nem com Prado, Felipão foi beneficiado com a medida.

Ao longo de 2011, o desgaste entre Felipão e Prado aumento. No segundo semestre, Felipão passou a discutir questões de logística, como viagens, diretamente com Piffer e não mais com o superior dele. Pela fidelidade de Leonardo a Felipão, vários conselheiros defenderam sua demissão junto com o técnico. Com o papelão desta semana, a pressão vai aumentar .

 



MaisRecentes

Governo admite que errou em MP que retira recursos do esporte



Continue Lendo

Sem resposta de Zé Ricardo, Milton Mendes entra no radar do Botafogo



Continue Lendo

Novo diretor de futebol do Fluminense, Paulo Angioni tem três nomes para lugar de Abel Braga



Continue Lendo