Oposição entrega documento a Patricia Amorim que contesta parceria com Adidas



Por Bruno Braga

Três dos candidatos à presidência do Flamengo nas eleições de dezembro deste ano, Ronaldo Gomlevsky, Wallim Vasconcellos e Jorge Rodrigues entregaram nesta quarta-feira um documento à presidente Patricia Amorim manifestando descontentamento com a possível mudança de fornecedora de material esportivo. O Flamengo está em processo final de negociação com a Olympikus e Adidas para definir quem, enfim, será a fornecedora de material esportivo do clube nos próximos anos.

Para a oposição, a atitude de assinar contrato com a Adidas por dez anos a dois meses da realização das eleições não é correto, uma vez que vai deixar o próximo presidente do Flamengo “engessado” sobre os termos contratuais que serão decididos pela atual gestão.

– Queremos saber detalhes sobre essa negociação. Por que o contrato vai ser de dez anos? E se o Flamengo ganhar um Campeonato Mundial? Vai ter direito ou não a receber bonificações? Queremos entender direito. Porque eu acho que não é ético assinar um contrato há dois meses das eleições. De minha parte não existe desconfiança. Mas quero saber o que está sendo tratado – disse Ronaldo Gomlevsky.

– Estamos contestando esse acordo que o Flamengo pode fazer com a Adidas e o distrato com Olympikus. Porque nós não achamos ético há três meses das eleições ser assinado um contrato desse valor e deixar o próximo presidente engessado. Temos que saber se as cláusulas podem sofrer reajustes. Por isso  estamos mandando esse documento – disse Jorge Rodrigues.

Confira o comunicado na íntegra:

“Ilma. Sra. Patricia Amorim                                      Presidente do Clube de Regatas do Flamengo

Servimo-nos da presente para, em esforço conjunto, manifestar nosso repúdio e indignação ante a pretensão de V.Sa. de promover a substituição do fornecedor de material esportivo do Clube de Regatas do Flamengo ao apagar das luzes do seu mandato. Entendemos que, em respeito às melhores práticas de governança,  questão tão delicada deva ficar a cargo da nova administração do Clube, a ser eleita no início do próximo mês de dezembro.

Nesse sentido, cumpre consignar que os valores fixos entre o que pagará a Olympikus em 2014 e o que se propõe a pagar a Adidas na mesma data, nos parecem muito mais próximos do que tem sido divulgado.

Outrossim, estamos convencidos que o prazo de 10 anos de contrato, sem reajustes ou bonificação ao CRF por performance, seria deveras danoso para o Clube, não importando o parceiro, em função do momento do mercado brasileiro, a proximidade da Copa do Mundo 2014 e das Olimpíadas 2016.

Finalmente, solicitamos esclarecer, com a brevidade possível, se é verdade que o CRF já firmou aditivo contratual com a Olympikus, versando, dentre outros pontos, sobre a rescisão antecipada do contrato de fornecimento de material esportivo; bem como se o CRF e/ou Adidas estarão obrigados a pagar comissão ou taxa de intermediação a qualquer terceiro pelo projetado negócio.

Independente, de resposta positiva para quaisquer dos questionamentos acima, vimos solicitar o especial obséquio de revelar os termos e condições dos respectivos contratos.

Atenciosamente,

Ronaldo Gomlevsky           Wallim Vasconcellos             Jorge Rodrigues
Planeta FLA        Flamengo Campeão do Mundo             Fla Único”



MaisRecentes

Gestão de associação coloca clubes de Santa Catarina na vanguarda do futebol



Continue Lendo

Internet e canais de filmes podem transmitir jogos do Brasileirão a partir de 2019



Continue Lendo

Zagueiro Igor Rabello pode deixar o Botafogo e se transferir para a Itália



Continue Lendo