Fla sofre nova derrota e pode ser executado em R$ 58,5 milhões



O Flamengo perdeu mais um round contra o Consórcio Plaza e será penhorado em 20% dos direitos pela venda de Diego Maurício e sobre o total do patrocínio master, assim que o Fla encontrar um. A decisão da 12ª Câmara Cível foi publicada nesta segunda-feira e CBF e Ferj deverão ser notificadas sobre a penhora. A dívida, que começou em R$ 6 milhões, hoje está calculada em R$ 58,5 milhões. O processo entrou em fase de execução.

A disputa com o Consórcio Plaza começou em 2002, por causa de R$ 6 milhões que a empresa emprestou ao clube em 1996 como adiantamento para a construção de um shopping na sede da Gávea, o que acabou embargado. O Fla desde então alega que o dinheiro foi uma doação, não um empréstimo. O Consórcio rebateu, mostrando balanços do Rubro-Negro em que a dívida foi incluída. Ano passado, a Justiça ordenou a penhora de bens para pagamento, mas o clube recorreu. Semana passada o recurso foi negado e a penhora novamente instaurada.

– Na semana passada conseguimos uma importante vitória, que foi a decisão em 2ª instância de que o Flamengo é devedor. Eles ainda podem recorrer às instâncias superiores – explicou a advogada Daniela Domingues, que trabalha para o escritório Siqueira Castro Advogados, contratado pelo Consórcio Plaza.

A coluna tentou contato com o vice jurídico do Flamengo, Rafael de Piro, mas não teve sucesso. O Fla recebeu os 80% pela venda de Diego Maurício ao Alania Vladikavkaz (RUS). Dos cerca de R$ 5,6 milhões a que o Fla tinha direito, cerca de R$ 1,132 milhão será penhorado.



MaisRecentes

À espera de decisão da Justiça sobre eleição, oposição se movimenta no Vasco



Continue Lendo

Instituto Guga Kuerten consegue captar doações via ‘Clube do Patrocínio’



Continue Lendo

Grupos respeitam luto por Eurico, mas rearrumação política está em curso



Continue Lendo