Flu propõe parceria com Fla no Maracanã



A diretoria do Fluminense vai propor um consórcio em parceria com o Flamengo para administrar o Maracanã depois da reforma. O projeto, que está sendo finalizado, será apresentado na audiência pública, sem data definida. O Tricolor, no entanto, não tem ainda a concordância formal do Rubro-Negro. O governo do Rio deve lançar o edital em outubro. Até o momento só está definido que haverá audiência antes do edital.

Lupa
O governo de Minas Gerais deve manter a Secopa como fiscalizadora do contrato com a BWA. Em todos os jogos, são funcionários da secretaria que fazem esta fiscalização. No Mineirão, esse monitoramento será feito pela Ernst & Young, que assinou por quatro anos com o governo mineiro a prestação do serviço.

Verde no azul
O balancete do Palmeiras em julho deu superávit de R$ 4,5 milhões e mesmo assim foi reprovado pelo Conselho de Orientação e Fiscalização. Segundo os membros do COF, a diretoria deixou de lançar várias despesas. A diretoria nega e diz que vai usar o superávit para mobiliar o novo prédio  administrativo.

Galo no poleiro
O grupo do ex-diretor do BNDES Wallim Vasconcelos nega que vá indicar o ex-jogador Zico como candidato a presidente do Flamengo, caso Vasconcelos seja considerado inelegível por razões estatutárias, como já parece quase inevitável. Por essa informação, Zico teria por fora um salário, também vedado pelo estatuto.

Inércia
Dirigentes do Corinthians afirmam que o clube não está buscando parceiros para fazer a captação de recursos pela Lei de Incentivo ao Esporte, para construir o CT das categorias de base. Dizem que a tarefa ficou nas mãos do vice-presidente Luis Paulo Rosenberg, que ouviu uma recusa do Bradesco no primeiro semestre, e depois não tocou mais o projeto.

Virou
Jorge Rodrigues conversou com Patricia Amorim antes de decidir se candidatar a presidente do Flamengo. Segundo Rodrigues, a decisão nada teve a ver com o problema de exposição da Triunfo. Nesta semana, Rodrigues vai se reunir com presidentes de poderes e beneméritos do clube, para explicar por que mudou de ideia sobre se candidatar.

Sem incentivo
A diretoria do Palmeiras diz que não vai aumentar o bicho aos jogadores como motivação para tentar escapar do rebaixamento. Segundo um dirigente, esse tipo de incentivo não ajudaria o time no atual momento, pois o problema não está ligado à motivação dos atletas, indicando que a causa do mau desempenho é outra.

A ou B, tanto faz
Aliados do ex-presidente do Palmeiras Affonso Della Monica dizem que sua possível candidatura à presidência não seria afetada em caso de rebaixamento do time. Neste momento, Della Monica ainda reluta em ser convencido por cardeais como Salvador Hugo Palaia e Luiz Gonzaga Belluzzo a ir ao pleito, no fim de janeiro.

Contrato
O Al-Rayyan (QAT) não fez nova proposta ao São Paulo por Luis Fabiano até ontem, como previa o estafe do atacante. Por isso, nesta semana, o jogador e seu agente irão ao presidente Juvenal Juvêncio para pedir aumento. A primeira proposta do Al-Rayyan prometia salário muito superior ao do jogador hoje.

DE LETRA
“Se o time cair para a Série B, muita gente vai desistir de ser candidato”
Gilto Avallone, conselheiro vitalício do Palmeiras, ligado ao grupo de Mustafá Contursi



MaisRecentes

Dentista explica que assimetria facial pode deixar atletas sujeitos a lesões



Continue Lendo

Paris Saint-Germain (FRA) fará ação social na favela da Rocinha



Continue Lendo

Árbitros Fifa do Rio de Janeiro alcançam as maiores notas nos testes teóricos



Continue Lendo