Agora, Corinthians minimiza naming rights



Quando o projeto da Arnea Corinthians foi lançado, o discurso da diretoria de Andrés Sanchez era pagar o estádio com a venda dos naming rights. Com a dificuldade de vender, o Corinthians passou a oferecer outras propriedades de mídia e por fim exclusividade de venda de produtos na Arena. Nada deu certo. Agora, o Corinthians não fala mais em R$ 40 milhões por ano para obter com naming rights. A metade disso já é considerada um grande negócio, desde que o contrato tenha perto de 20 anos.  O clube agora diz que projeta faturar R$ 150 milhões por ano com a nova arena e que o dinheiro do naming rights não é muito importante.



MaisRecentes

Volta Redonda é o único clube do RJ a não publicar balancete. Dirigente promete números nesta quinta-feira



Continue Lendo

Ricardo Rocha lança canal de análises e entrevistas no YouTube



Continue Lendo

Dirigente tem a missão de transformar a Inter de Limeira em clube-empresa



Continue Lendo