CBF remonta bancada da bola em Brasília



O presidente da CBF, José Maria Marin, reativou a bancada da bola no Congresso, que mais uma vez é liderada pelo deputado José Rocha (PR-BA). O primeiro item da pautra é a rediscussão da Timemania e mais um refinanciamento das dívidas tributárias. Ao contrário de anos anteriores, os clubes mais ativos são os da Série B. No fim de 2011, Rocha queixou-se ter sido abandonado pelo então presidente Ricardo Teixeira.

Amigável
Clubes de diferentes regiões do Brasil afirmam que o presidente da CBF, José Maria Marin, dá muito mais abertura para discutir problemas relacionados ao futebol brasileiro. Dizem que a relação é completamente diferente da que tinham com o antecessor Ricardo Teixeira, que, segundo dirigentes, não parecia querer resolver problemas apontados.

Primeiro passo
Presidentes de clubes que foram à Alemanha a convite da TV Globo começaram a organizar uma pauta de reivindicações para levar ao presidente da CBF, José Maria Marin. Indenização por cessão de jogadores à seleção e rediscussão do calendário nacional estão na pauta. Mas não deve haver decisão em breve.

Espírito sindical
Conselheiros e um dirigente do Corinthians criticam o corte de gastos no futebol de base, determinada pelo presidente Mário Gobbi. Dizem que o gasto com o atacante Adilson, contratado na semana passada para o profissional, pagaria dez jogadores da base. Até o fim do ano, ao menos 30 jovens serão dispensados.

Cansaço
O presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro, disse ontem, que é preciso mudar o calendário do futebol brasileiro, para reduzir o desgaste dos jogadores. “Se chegarmos às finais de todos os campeonatos, disputaremos 82 jogos na temporada. É humanamente impossível. Temos que encontrar uma solução”, diz.

Aceleração
O ritmo das obras na Arena Corinthians precisa crescer cerca de 25% para que se atinja a meta de 60% prontos até o final deste ano. Até agora a média tem sido de 2,8% por mês. Precisa passa para 3,5%/mês nos próximos sete meses. O número de trabalhadores vai passar de 1.800 para 2.300 nos próximos meses.

Renovação forçada
Conselheiros e sócios influentes do Palmeiras se articulam para tentar lançar uma candidatura única na próxima eleição. Mas o nome que defendem não é do presidente Arnaldo Tirone, mas sim do investidor Paulo Nobre. Cartolas mais tradicionais do clube desdenham da chance de sucesso da empreitada.

Fiel de longe
Conselheiros do Corinthians propuseram ao presidente Mário Gobbi que o clube reative o programa para sócios de fora de São Paulo. Dizem que essas pessoas não têm motivo para comprar o título patrimonial, o que torna a associação inviável. Gobbi já pediu um projeto semelhante para ampliar o quadro de sócios.

Queima de estoque
Conselheiros do Flamengo diziam ontem, em tom de troça, que, se todo credor do Flamengo for às lojas do clube para pegar material esportivo como compensação, vai faltar produto. Anteontem, Assis, agente de Ronaldinho, pegou produtos na loja da Gávea sob o argumento de que .o clube lhe devia.

DE LETRA
“O Flamengo é uma nação. Não precisa e não pode viver de vale alimentação”.

Cesar Sansão, conselheiro do Flamengo, criticando cláusula da proposta de patrocínio do Porcão que fixava que R$ 500 mil seriam créditos nos restaurantes da rede.

 



MaisRecentes

Com Under Armour, Fluminense tem menos uma dor de cabeça



Continue Lendo

Atlético Paranaense abre escola de futebol na África



Continue Lendo

Finais da Copa do Brasil serão transmitidas nos cinemas



Continue Lendo