Transformação na dinâmica do SPFC passou por Igor Gomes e Liziero



Quem viu o São Paulo empatar com o São Caetano, pela última partida da fase de classificação do Paulista, jamais acreditaria que aquele time colapsado seria capaz de se reinventar, jogar bola e chegar à final do torneio. O motivo da mudança, cantado em verso e prosa: a molecada da base, em gesto ousado de Mancini.

+ Acompanhe o Crônicas no Morumbi no Facebook
+ Leia também os blogs do Lance: Gol de Canela | Papo de Boleiro

Se Antony tornou-se uma válvula de escape pela direita, fechando pelo meio, chegando ao gol adversário; outros dois jogadores, Igor Gomes e Liziero, foram os responsáveis pela transformação na dinâmica do São Paulo.

De um time que se arrastava, Liziero, no meio-campo, foi capaz de marcar e, ao mesmo tempo, estabelecer a linha de passe com qualidade entre a defesa e o ataque. O São Paulo, até então, era uma equipe que não conseguia se conectar. Liziero também tem a capacidade de, quando o time estava com a bola, acompanhar o bloco que se direcionava ao ataque. E até marcou gol, como no jogo contra o Ituano.

É público e notório que Liziero novamente se machucou, mas essa retomada ao seu nome terá um sentido ao final deste texto.

Igor Gomes resolveu um problema crônico do Tricolor: a lentidão. O jovem não só proporcionou velocidade vertical para a equipe como invadia a grande área adversária, batia de fora e abria espaço para os pontas (recuso-me a chamar de extremos).

Gomes e Liziero alteraram completamente o São Paulo, formando uma linha entre o meio o ataque.

Na partida contra o Bahia, na manhã de domingo, depois que Liziero saiu machucado, logo no início da partida, o São Paulo, que enfrentou um adversário que entrou no Morumbi com três volantes, encontrou ainda muitas dificuldades para interligar os setores.

Amanhã, quarta, às 21h30, novamente no Morumbi, o São Paulo voltará a enfrentar o Bahia. As questões que pairam são: como fará Cuca para romper o bloqueio baiano e tornar o time mais dinâmico?

Liziero, machucado, está fora. Hernanes, mesmo que apresente condições físicas, parece não ser o mais indicado neste momento para quebrar a ordem retranqueira do Bahia. O São Paulo necessita de movimentação para evitar que o meio-campo baiano amarre o jogo.

Hernandes tem história e peso no São Paulo, no entanto, neste retorno, não está bem. Não seria o momento da volta de Igor Gomes?

Com a lesão de Liziero, tudo indica a opção de Cuca por Luan, que pode não ter a mesma qualidade de passe de Liziero, porém, dá mais movimentação à equipe em relação a Hudson.

Fato é que, neste novo embate contra os baianos, o São Paulo precisa encontrar novos caminhos, mudar a forma de jogar e tentar fazer o placar no Morumbi. Pois, se jogar novamente como atuou no domingo, será dominado pelo Bahia, que levará a segunda partida do mata-mata em Salvador.

Depois da queda vexatória para o Talleres, uma nova eliminação em mata-mata colocaria pimenta do caldo do Tricolor Paulista.



MaisRecentes

SPFC 1 x 1 Palmeiras: dois tempos, dois tentos



Continue Lendo

Futebol brasileiro deixou-se enganar pelo cientificismo exagerado



Continue Lendo

Estádios vazios na Copa América evidenciam o apartheid econômico e social no Brasil



Continue Lendo