Torcedores, ex-atletas, conselheiros, organizadas e blogueiros expõem suas expectativas sobre o São Paulo 2018



SAO PAULO, BRAZIL - SEPTEMBER 14: Cheers of Sao Paulo in action during the match between Sao Paulo and Cruzeiro for the Brazilian Series A 2014 at Morumbi stadium on September 14, 2014 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)

Exceções à chegada de Hernanes e o apoio da torcida, que lotou o Morumbi e demonstrou amor incondicional ao clube, a temporada 2017 do São Paulo foi retumbante fracasso, que nem os mais apaixonados conseguem se omitir. Time sendo montado e desmontado quase que no meio das partidas, contratações duvidosas, atos de desesperos na luta contra o rebaixamento, entre outros componentes que tiveram forte influência para a quedas no Paulista, Sul-Americana, Copa do Brasil e, por muito pouco, não levaram o clube para a segundona do Brasileirão.

Ao final da temporada, livre do rebaixamento, com a cabeça em 2018, o presidente Leco trouxe Raí e Ricardo Rocha para comandar o futebol, com a dura missão de manter a base e formar uma equipe competitiva para a próxima temporada, considerando que praticamente nos últimos 10 anos o Tricolor só levantou uma taça.

As vindas de Raí e Rocha, que trouxeram, até o momento, os jogadores Diego Souza e Anderson Martins, reacenderam a esperança Tricolor. Sob esses contexto, o Blog Crônicas do Morumbi ouviu 12 tricolores, em um time formado por conselheiros, presidentes de torcidas organizas, blogueiros e torcedores de arquibancada sobre a expectativa para a temporada 2018. Confira:

OSCAR BERNARDI, ex-atleta do SPFC, um dos maiores zagueiros tricolor e da história do futebol: “Penso que o São Paulo, considerando o plantel, é sério candidato ao título paulista. Manteve quase que a totalidade do elenco de  jogadores,  fez contratações pontuais e reposição no mesmo nível. Vieram reforços fora de campo, Raí e Ricardo Rocha, que por certo terá bom desempenho a frente do grupo. Também espero que a má fase tenha ficado para trás.”

KALEF JOÃO FRANCISCO, conselheiro e diretor do São Paulo nas conquistas dos Mundiais 92 e 93: “Se derem autonomia e deixarem o Raí e o Ricardo Rocha tocarem o futebol, sem interferências de ‘forças ocultas’, voltaremos a ter alegria com o São Paulo.” 

HENRIQUE “BABY”, presidente da Torcida Tricolor Independente: “Se em 2017 lutamos para não cair, em 2018, é lutar para sermos campeões. A base está sendo mantida e estão chegando novos jogadores. As saídas de Hernanes, inevitável devido à cláusula dos chineses, e Pratto, por vontade do jogador, estão sendo repostas. Chegaram Diego Souza, o zagueiro Anderson Martins, Reinaldo retornou e estamos na torcida para que se feche com Scarpa. Penso que ainda sejam necessárias a contratação de um lateral, um atacante e dar mais oportunidades para os meninos da base. A Torcida Independente seguirá apoiando e também cobrando”. 

DANIEL PERRONE, do site São Paulo Sempre: “Minha visão é otimista. Temos uma espinha dorsal formada desde o meio do ano passado, mantivemos o técnico e, apesar de termos perdido Hernanes (perda irreparável), dá para confiar na nossa diretoria de futebol. Além disso, tenho informação confiável de que o clube está saldando suas dívidas. Acho que 2018 dá jogo. E, se tivermos competência, dará título.”

PAULINHO HEAVY, do programa Opinião Tricolor: “A expectativa, evidente, é ser melhor que 2017, com a condição de o presidente Leco não se meter no caminho do aparente bom trabalho que Raí, com apoio de Ricardo Rocha, está desenvolvendo no São Paulo. Com menos interferência, abre-se a perspectiva do São Paulo fazer um ano menos traumático que a última temporada. Espero que o Dorival defina logo um padrão de jogo, bem diferente do ano passado, quando ora fechava o time, ora abria e, ao final, acabou não fazendo uma coisa nem outra, ocasionando em muitas perdas de pontos e muita tensão na luta contra o rebaixamento. Não é um técnico que me agrada, porém, com um time remontado e remoçado, poderemos ter um ano melhor. Não creio em título, mas acredito em uma melhor participação nos torneios. É importante também ficar muito ligado nos bastidores, nas dívidas e nos negócios estabelecidos no clube.”

ANDRÉ AZEVEDO, presidente da organizada Dragões da Real: “Estou muito esperanço, mesmo com as saídas de Hernanes e Pratto. Sobre o atacante argentino, considerando o que jogou nos últimos seis meses, verdade é que Gilberto seria mais efetivo ao time, então não se perdeu muito, ainda mais com a chegada de Diego Souza. O São Paulo manteve uma base e se reforça, principalmente no sistema defensivo, com a chegada de Anderson Martins, que é um jogador top de linha. As permanências de Jucilei e Petros, a velocidade de Marcos Guilherme, poderão dar bons resultados. Mas, sobretudo, penso que nossas maiores contratações foram Raí e Ricardo Rocha, que estão realizando um bom trabalho, capaz de proporcionar títulos ao São Paulo.”

FABIO BORGES, do site Arquibancada Tricolor: Acredito que o São Paulo fará um bom papel em 2018. Já acertou nas contratações para gerir o futebol do Tricolor, com Raí (diretor-executivo de futebol) e Ricardo Rocha (Coordenador de futebol). O resultado já pode ser visto em poucos dias, com boas contratações de jogadores que já chegaram e que estão para chegar. Acredito que alguns jogadores da base, que tem grande potencial, também serão aproveitados no time principal. O mais difícil será manter, por todo ano, esses jogadores vindos da base que vierem a se destacar. É preciso tentar segurá-los e valorizá-los ainda mais, mesmo que venham altas propostas financeiras. O São Paulo disputará esse ano Campeonato Paulista, Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-americana. Espero que esse ano o time não passe o mesmo sufoco do ano passado, quando quase fomos rebaixados no Brasileiro. Tudo vai depender de uma boa administração do presidente Leco, evitando que o time seja desmontado no meio do ano, com a venda de jogadores, como aconteceu ano passado. Conquistando um título, desses quatro que iremos disputar, já acho que valeu o ano. E também conseguindo a vaga para a Libertadores 2019. Aí poderemos acreditar que montamos um time competitivo e vencedor.”

CAIO DOMINGUEZ, do programa Resenha Tricolor: “O ano de 2017 terminou como uma grande incógnita frente à a mudança do comando do futebol do São Paulo, no entanto, 2018 chegou com um grande acerto, que foram as contratações de Raí e Ricardo Rocha, que entendem de futebol e sabem a dimensão do São Paulo. Em pouco tempo, já estão desenvolvendo um bom trabalho. As saídas de Hernanes e Pratto estão sendo substituídas com nomes à altura do Tricolor e ainda há especulações de outros ótimos atletas, que darão mais corpo à equipe. Mas o que me mantém 100% otimista, neste momento, são as presenças de Raí e Rocha gerenciando o futebol, ainda com a possibilidade da chegada de Lugano.”

FERNANDO BENINCASA, torcedor e um dos idealizadores do Movimento Resgate Tricolor: “Otimismo pela montagem com as novas peças e, principalmente, o controle da gestão. Desafios de briga por posição, nos casos Sidão/Jean e Rodrigo Caio/Anderson Martins. Cueva deverá viver expectativa forte caso Scarpa feche. Por outro lado, gente boa subindo para abrir o olho de Marcos Guilherme também. Lado positivo sobre a diretoria: não ter aceitado participar do torneio na Flórida, enquanto fez uma quantidade bem superior de treinamento que o Corinthians que só de tempo em logística de viagem e deslocamento, sai atrás.”

RONEY ALTIERI, do programa São Paulo Raiz: “Vou usar as palavras do compositor para explicar o atual momento do São Paulo: “rir é bom, mas rir de tudo é desespero”. Contratar jogador revigora qualquer time e o que não dizer então da torcida. Mas “contratar” (ou anunciar que vai) um monte beira o desespero. Passadas as tragédias dos últimos anos, parece muito clara a intenção da atual diretoria em fazer esquecer tudo que de ruim aconteceu a instituição, grande parte inclusive de promoção e responsabilidade dos próprios. Cometido o crime, no caso do descaso e incompetência em administrar uma das maiores marcas do futebol mundial, esconde-se o corpo, queimam-se as provas e toca-se a vida da maneira mais natural possível. Assim é o São Paulo. Sofrido, humilhado, maltratado parece renascer das cinzas nas mãos do onipresente Raí, novo homem forte do futebol, hábil em buscar reforços da China ao Recife. A euforia é tanta, que nem as perdas de Hernanes, Pratto e a até o momento inexplicável de Maidana, abalam a alegria a muito sumida dos lados do Morumbi. Vivemos sim um novo momento é inegável, porém como caldo de galinha nunca fez mal a ninguém é sempre importante manter em alerta as seguintes perguntas: 1) Quais são as reais intenções da caótica Direção do Clube no papel sempre sensato e honesto do ídolo Raí? 2) Dorival teria a competência de saber fazer desse novo momento, um novo e competitivo time? Que Raí prevaleça e que Dorival se firme. Feito isso e teremos de volta uma das maiores alegrias que um tri campeão do mundo pode ter: ver seu time novamente levantar troféus. Eu acredito. Até porque se a moeda já caiu em pé uma vez, por que não cair de novo em 2018.”

RICARDO CUNHA, sócio torcedor: “Diferente de 2017, as chegadas de Raí e Ricardo Rocha estão sendo determinantes para um 2018 positivo, devido à manutenção de uma base e a contratações de bons jogadores. A expectativa é de, ao menos, um título. Tomara que seja a Copa do Brasil. Parece que 2018 o planejamento durará um ano, assim, então, o São Paulo poderá colher os frutos.”

NEWTON FERREIRA, Conselheiro do São Paulo: Time melhor que o de 2017. Com conquistas pontuais! Eventuais conquistas, serão pontuais. Muito mais dependendo de união emocional. Tecnicamente continuaremos a ter um time limitado.” 

ED MARCOS, professor universitário: “Sinceramente, acho que vai ser mais do mesmo. Diferente seria se tivéssemos um time com as permanências de Hernanes e Pratto, somando-se à chegada de Diego Souza. Aí sim, poderíamos sonhar com títulos. A nossa realidade, mais uma vez, será ser coadjuvante. E assim será enquanto Leco for presidente. Infelizmente.”



MaisRecentes

Lucas Moura no São Paulo?



Continue Lendo

Inevitável saída de Hernanes tem seu ponto positivo no São Paulo



Continue Lendo

Na estreia da Copinha, São Paulo enfia 6 no Cruzeiro/DF



Continue Lendo