Torcedores, ex-atletas, conselheiros, organizadas e blogueiros expõem suas expectativas sobre o São Paulo 2018



SAO PAULO, BRAZIL - SEPTEMBER 14: Cheers of Sao Paulo in action during the match between Sao Paulo and Cruzeiro for the Brazilian Series A 2014 at Morumbi stadium on September 14, 2014 in Sao Paulo, Brazil. (Photo by Alexandre Schneider/Getty Images)

Exceções à chegada de Hernanes e o apoio da torcida, que lotou o Morumbi e demonstrou amor incondicional ao clube, a temporada 2017 do São Paulo foi retumbante fracasso, que nem os mais apaixonados conseguem se omitir. Time sendo montado e desmontado quase que no meio das partidas, contratações duvidosas, atos de desesperos na luta contra o rebaixamento, entre outros componentes que tiveram forte influência para a quedas no Paulista, Sul-Americana, Copa do Brasil e, por muito pouco, não levaram o clube para a segundona do Brasileirão.

Ao final da temporada, livre do rebaixamento, com a cabeça em 2018, o presidente Leco trouxe Raí e Ricardo Rocha para comandar o futebol, com a dura missão de manter a base e formar uma equipe competitiva para a próxima temporada, considerando que praticamente nos últimos 10 anos o Tricolor só levantou uma taça.

As vindas de Raí e Rocha, que trouxeram, até o momento, os jogadores Diego Souza e Anderson Martins, reacenderam a esperança Tricolor. Sob esses contexto, o Blog Crônicas do Morumbi ouviu 12 tricolores, em um time formado por conselheiros, presidentes de torcidas organizas, blogueiros e torcedores de arquibancada sobre a expectativa para a temporada 2018. Confira:

OSCAR BERNARDI, ex-atleta do SPFC, um dos maiores zagueiros tricolor e da história do futebol: “Penso que o São Paulo, considerando o plantel, é sério candidato ao título paulista. Manteve quase que a totalidade do elenco de  jogadores,  fez contratações pontuais e reposição no mesmo nível. Vieram reforços fora de campo, Raí e Ricardo Rocha, que por certo terá bom desempenho a frente do grupo. Também espero que a má fase tenha ficado para trás.”

KALEF JOÃO FRANCISCO, conselheiro e diretor do São Paulo nas conquistas dos Mundiais 92 e 93: “Se derem autonomia e deixarem o Raí e o Ricardo Rocha tocarem o futebol, sem interferências de ‘forças ocultas’, voltaremos a ter alegria com o São Paulo.” 

HENRIQUE “BABY”, presidente da Torcida Tricolor Independente: “Se em 2017 lutamos para não cair, em 2018, é lutar para sermos campeões. A base está sendo mantida e estão chegando novos jogadores. As saídas de Hernanes, inevitável devido à cláusula dos chineses, e Pratto, por vontade do jogador, estão sendo repostas. Chegaram Diego Souza, o zagueiro Anderson Martins, Reinaldo retornou e estamos na torcida para que se feche com Scarpa. Penso que ainda sejam necessárias a contratação de um lateral, um atacante e dar mais oportunidades para os meninos da base. A Torcida Independente seguirá apoiando e também cobrando”. 

DANIEL PERRONE, do site São Paulo Sempre: “Minha visão é otimista. Temos uma espinha dorsal formada desde o meio do ano passado, mantivemos o técnico e, apesar de termos perdido Hernanes (perda irreparável), dá para confiar na nossa diretoria de futebol. Além disso, tenho informação confiável de que o clube está saldando suas dívidas. Acho que 2018 dá jogo. E, se tivermos competência, dará título.”

PAULINHO HEAVY, do programa Opinião Tricolor: “A expectativa, evidente, é ser melhor que 2017, com a condição de o presidente Leco não se meter no caminho do aparente bom trabalho que Raí, com apoio de Ricardo Rocha, está desenvolvendo no São Paulo. Com menos interferência, abre-se a perspectiva do São Paulo fazer um ano menos traumático que a última temporada. Espero que o Dorival defina logo um padrão de jogo, bem diferente do ano passado, quando ora fechava o time, ora abria e, ao final, acabou não fazendo uma coisa nem outra, ocasionando em muitas perdas de pontos e muita tensão na luta contra o rebaixamento. Não é um técnico que me agrada, porém, com um time remontado e remoçado, poderemos ter um ano melhor. Não creio em título, mas acredito em uma melhor participação nos torneios. É importante também ficar muito ligado nos bastidores, nas dívidas e nos negócios estabelecidos no clube.”

ANDRÉ AZEVEDO, presidente da organizada Dragões da Real: “Estou muito esperanço, mesmo com as saídas de Hernanes e Pratto. Sobre o atacante argentino, considerando o que jogou nos últimos seis meses, verdade é que Gilberto seria mais efetivo ao time, então não se perdeu muito, ainda mais com a chegada de Diego Souza. O São Paulo manteve uma base e se reforça, principalmente no sistema defensivo, com a chegada de Anderson Martins, que é um jogador top de linha. As permanências de Jucilei e Petros, a velocidade de Marcos Guilherme, poderão dar bons resultados. Mas, sobretudo, penso que nossas maiores contratações foram Raí e Ricardo Rocha, que estão realizando um bom trabalho, capaz de proporcionar títulos ao São Paulo.”

FABIO BORGES, do site Arquibancada Tricolor: Acredito que o São Paulo fará um bom papel em 2018. Já acertou nas contratações para gerir o futebol do Tricolor, com Raí (diretor-executivo de futebol) e Ricardo Rocha (Coordenador de futebol). O resultado já pode ser visto em poucos dias, com boas contratações de jogadores que já chegaram e que estão para chegar. Acredito que alguns jogadores da base, que tem grande potencial, também serão aproveitados no time principal. O mais difícil será manter, por todo ano, esses jogadores vindos da base que vierem a se destacar. É preciso tentar segurá-los e valorizá-los ainda mais, mesmo que venham altas propostas financeiras. O São Paulo disputará esse ano Campeonato Paulista, Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-americana. Espero que esse ano o time não passe o mesmo sufoco do ano passado, quando quase fomos rebaixados no Brasileiro. Tudo vai depender de uma boa administração do presidente Leco, evitando que o time seja desmontado no meio do ano, com a venda de jogadores, como aconteceu ano passado. Conquistando um título, desses quatro que iremos disputar, já acho que valeu o ano. E também conseguindo a vaga para a Libertadores 2019. Aí poderemos acreditar que montamos um time competitivo e vencedor.”

CAIO DOMINGUEZ, do programa Resenha Tricolor: “O ano de 2017 terminou como uma grande incógnita frente à a mudança do comando do futebol do São Paulo, no entanto, 2018 chegou com um grande acerto, que foram as contratações de Raí e Ricardo Rocha, que entendem de futebol e sabem a dimensão do São Paulo. Em pouco tempo, já estão desenvolvendo um bom trabalho. As saídas de Hernanes e Pratto estão sendo substituídas com nomes à altura do Tricolor e ainda há especulações de outros ótimos atletas, que darão mais corpo à equipe. Mas o que me mantém 100% otimista, neste momento, são as presenças de Raí e Rocha gerenciando o futebol, ainda com a possibilidade da chegada de Lugano.”

FERNANDO BENINCASA, torcedor e um dos idealizadores do Movimento Resgate Tricolor: “Otimismo pela montagem com as novas peças e, principalmente, o controle da gestão. Desafios de briga por posição, nos casos Sidão/Jean e Rodrigo Caio/Anderson Martins. Cueva deverá viver expectativa forte caso Scarpa feche. Por outro lado, gente boa subindo para abrir o olho de Marcos Guilherme também. Lado positivo sobre a diretoria: não ter aceitado participar do torneio na Flórida, enquanto fez uma quantidade bem superior de treinamento que o Corinthians que só de tempo em logística de viagem e deslocamento, sai atrás.”

RONEY ALTIERI, do programa São Paulo Raiz: “Vou usar as palavras do compositor para explicar o atual momento do São Paulo: “rir é bom, mas rir de tudo é desespero”. Contratar jogador revigora qualquer time e o que não dizer então da torcida. Mas “contratar” (ou anunciar que vai) um monte beira o desespero. Passadas as tragédias dos últimos anos, parece muito clara a intenção da atual diretoria em fazer esquecer tudo que de ruim aconteceu a instituição, grande parte inclusive de promoção e responsabilidade dos próprios. Cometido o crime, no caso do descaso e incompetência em administrar uma das maiores marcas do futebol mundial, esconde-se o corpo, queimam-se as provas e toca-se a vida da maneira mais natural possível. Assim é o São Paulo. Sofrido, humilhado, maltratado parece renascer das cinzas nas mãos do onipresente Raí, novo homem forte do futebol, hábil em buscar reforços da China ao Recife. A euforia é tanta, que nem as perdas de Hernanes, Pratto e a até o momento inexplicável de Maidana, abalam a alegria a muito sumida dos lados do Morumbi. Vivemos sim um novo momento é inegável, porém como caldo de galinha nunca fez mal a ninguém é sempre importante manter em alerta as seguintes perguntas: 1) Quais são as reais intenções da caótica Direção do Clube no papel sempre sensato e honesto do ídolo Raí? 2) Dorival teria a competência de saber fazer desse novo momento, um novo e competitivo time? Que Raí prevaleça e que Dorival se firme. Feito isso e teremos de volta uma das maiores alegrias que um tri campeão do mundo pode ter: ver seu time novamente levantar troféus. Eu acredito. Até porque se a moeda já caiu em pé uma vez, por que não cair de novo em 2018.”

RICARDO CUNHA, sócio torcedor: “Diferente de 2017, as chegadas de Raí e Ricardo Rocha estão sendo determinantes para um 2018 positivo, devido à manutenção de uma base e a contratações de bons jogadores. A expectativa é de, ao menos, um título. Tomara que seja a Copa do Brasil. Parece que 2018 o planejamento durará um ano, assim, então, o São Paulo poderá colher os frutos.”

NEWTON FERREIRA, Conselheiro do São Paulo: Time melhor que o de 2017. Com conquistas pontuais! Eventuais conquistas, serão pontuais. Muito mais dependendo de união emocional. Tecnicamente continuaremos a ter um time limitado.” 

ED MARCOS, professor universitário: “Sinceramente, acho que vai ser mais do mesmo. Diferente seria se tivéssemos um time com as permanências de Hernanes e Pratto, somando-se à chegada de Diego Souza. Aí sim, poderíamos sonhar com títulos. A nossa realidade, mais uma vez, será ser coadjuvante. E assim será enquanto Leco for presidente. Infelizmente.”



MaisRecentes

Alemanha 2 x 1 Suécia: partida que conceitua o bom futebol



Continue Lendo

Neytanto ao choro, Neytanto ao histrionismo nas redes sociais



Continue Lendo

Dragões da Real, organizada do SPFC, completa 34 anos



Continue Lendo