São Paulo arranca vitória contra o Ceará



Foto Rubens Chiri

O Morumbi estava lotado, a torcida empolgada, o adversário era o vice-lanterna, mas a verdade é que o São Paulo capinou no semiárido para fazer brotar um gol no jogo fechado do Ceará. Gol que só veio aos 32 do segundo tempo.

+ Acompanhe o Crônicas no Morumbi no Facebook
+ Leia também os blogs do Lance: Gol de Canela | Papo de Boleiro

O Tricolor, jogando em casa, entrou em campo com a pegada de líder. Botou pressão total sobre o Ceará, que se defendeu com bravura. Falando em defender, esse verbo foi conjugado em quase todos os tempos pelo arqueiro Éverson, que operou milagres. Foram jogadas pelas pontas, pelo meio, tentativa de gol olímpico, bola cruzada na área, cabeceada, nada entrava.

Apesar do bombardeio Tricolor, a maior chance de gol da partida foi do Ceará, aos 18/2T, quando Leandro Carvalho saiu cara a cara com Sidão, que fez uma defesaça. Não é exagero que, se sai o gol, o Ceará, muito bem armado por Lisca Doido, poderia ter deixado o Morumbi até com a vitória.

Minutos depois, aos 32/2T, o alívio. Reinaldo, The King, outro que fez uma partidaça, roubou uma bola na esquerda, avançou como antigo ponta, invadiu a área, limpou o defensor, tocou para trás, Diego Souza recebeu, abriu para Bruno Peres que girou e pegou Éverton no contrapé. Gol trouxe alívio dentro de campo e nas arquibancadas.

O São Paulo ganhou, mas teve suas baixas para enfrentar o Fluminense, no próximo domingo, dia 2 de setembro. Nenê tomou amarelo por reclamação e, aos 22/2T, Éverton sentiu e pediu para sair. Será avaliado. Jucilei também tomou amarelo e desfalca a equipe.

A saída de Éverton promoveu a entrada de Régis, afastado por problemas pessoais, mas que, em gesto nobre da diretoria e da comissão técnica do São Paulo, foi reintegrado ao futebol e à vida. Futebol é muito mais que 90 minutos de 22 pessoas correndo atrás de uma bola.

Aguirre promoveu ainda duas substituições: Shaylon no lugar do bom garoto Luan e Carneiro, já aos 43/2T, no lugar de Diego Souza, muito mal na partida. O uruguaio poderia ter promovido a entrada de Carneiro ou Tréllez no lugar de Diego Souza antes.

O São Paulo arrancou a vitória, somou três pontos e chegou a 45 na tabela, preservando a liderança, independente do resultado de Internacional e Palmeiras.

A liderança não pode ocultar algumas dificuldades enfrentada pelo São Paulo nas três últimas partidas contra Colón e Paraná, quando o time também enfrentou duras batalhas para encontrar o caminho do gol. Se está bem postado na defesa, o ataque custa para furar os bloqueios adversários.

O São Paulo jogou bem, mas se quiser se manter na liderança, vai ter que jogar mais contra adversários mais fortes.



MaisRecentes

Em jogo horroroso, Santos e São Paulo empatam na Vila



Continue Lendo

No sprint final do Brasileirão, São Paulo testa sua força contra o Santos



Continue Lendo

Atlético-MG 1 x 0 SPFC: independência perdida



Continue Lendo