Possível liderança do SPFC é emblemática para um clube que há 10 anos acumula fracassos



As conquistas recentes do São Paulo estão ficando no passado

Evidente que toda liderança de Brasileirão é relevante. Mas, para o São Paulo, um gigante que luta para se reconstruir, evitando que as suas glórias não fiquem somente estampadas em antigos almanaques, a vitória sobre o Vasco e a consequente primeira posição na tabela, considerando a trajetória dos últimos 10 anos, possuem um significado ainda maior

+ Acompanhe o Crônicas no Morumbi no Facebook
+ Leia também os blogs do Lance: Gol de Canela | Papo de Boleiro

Terminar a 17ª rodada como líder é também emblemática para um clube que há 10 anos só levantou uma taça, na conquista da Sul-Americana, em uma partida controversa, polêmica e com só meio tempo de jogo, onde o pau comeu no intervalo a ponto dos argentinos – pasmem – se recusarem a disputar os 45 minutos finais.

Na linha do tempo desse Calvário Tricolor, o clube acumula tropeços vexatórios como a desclassificação, em pleno Morumbi, para o pequeno Defensa y Justicia (ARG), pela Sul-Americana, e flertes palpáveis com rebaixamentos, como acontecera no Brasileirão 2017.

Como bem descreveu um conselheiro do clube ao blog, “O São Paulo, se não reencontrar seu caminho, corre o risco de se tornar mais uma equipe do futebol brasileiro que alcançou altas glórias no passado, e passará a ocupar apenas uma posição intermediária, mediana, nos torneios”.

Por mais que a frase do conselheiro chegue aos ouvidos com ares de alarmismo e sensacionalismo, quando levantados os números e analisadas as quedas nas participações do São Paulo nos últimos 10 anos, constata-se que a frase tem fortes lastros com a realidade.

O último título no Brasileirão reporta-se a 2008, e lá se vão quase 10 anos. No Paulista, a última taça refere-se a 2005, e lá se vão 13 anos. Na Libertadores, mais 13, também em 2005. Nesse vácuo de conquistas, ainda há a Copa do Brasil, um título inexistente – e ambicionado – na galeria de troféus do Morumbi.

É tempo demais para um clube que foi protagonista nas décadas de 90 e 2000, chegando a se auto-intitular Soberano.

É sob esse contexto reverso que o São Paulo entrará em campo hoje, às 16 horas, para enfrentar o Vasco e aos seus demônios, diante de um Morumbi lotado de público e também de expectativas, na esperança de ver a equipe vencer e ocupar a liderança do Brasileirão, posição que há tempos o clube não se vê estampado nos manchetes dos jornais.



MaisRecentes

Em reconstrução, São Paulo não pode se dar ao luxo de esnobar uma Sul-Americana



Continue Lendo

Na luta pela liderança, São Paulo tem microdecisão contra o Vasco no Morumbi



Continue Lendo

Cruzeiro 0 x 2 São Paulo: Em Minas, pontos que valem ouro



Continue Lendo