Patón na Seleção Argentina



Trabalho interrompido: Patón comandará a Seleção Argentina

Salvo uma reviravolta imensa, é praticamente certa a saída de Patón do São Paulo para assumir a Seleção da Argentina. E dá para condenar Bauza por isso? Evidente que não. Se o Tricolor é um clube mundial, a Argentina é uma Seleção entre as melhores do mundo, que todo técnico um dia almeja comandar.

Afastando-se da cornetagem, em que tudo não presta, tudo é ruína, é inquestionável que a diretoria do São Paulo acertou nas contratações de Osorio e Patón, uma vez que os dois saíram do Tricolor para assumir Seleções de grande expressão.

Neste ponto, do comando, do time – e do clube – a diretoria acertou, porém, agora, fica uma questão suspensa no ar e na mente de todo torcedor são-paulino: – Quem preencherá o vácuo deixado por Bauza?

Em toda contratação de um novo técnico, por mais estudos, comentários, análises e estatísticas, o ato envolve riscos.

Ainda que muito tentem colocar sob réguas e esquadros, o futebol não é ciência exata. Tanto é que muitos técnicos consagrados não deram certo ao mudarem de clubes ou seleções, pois cada time é um universo em si, com seu contexto, seus jogadores, seu ambiente.

Acertar duas vezes, sem dúvida, tem seu mérito. A diretoria do São Paulo agora tem um novo desafio pela frente, de acertar pela terceira vez, ainda mais quando o clube se encontra em fase de reconstrução, com pouco dinheiro, e pouca tolerância por parte da torcida.

O que resta à nação Tricolor é desejar boa sorte a Patón e redobrar a confiança por um novo técnico que faça o São Paulo dar um passo adiante. Bielsa, El Loco, em tese, seria uma experiência positiva nas terras do Morumbi e para o futebol brasileiro.



MaisRecentes

SPFC 1 x 1 Palmeiras: dois tempos, dois tentos



Continue Lendo

Futebol brasileiro deixou-se enganar pelo cientificismo exagerado



Continue Lendo

Estádios vazios na Copa América evidenciam o apartheid econômico e social no Brasil



Continue Lendo