Na estreia da Copinha, São Paulo enfia 6 no Cruzeiro/DF



Mesmo que muitos meninos da base já possuam rodagem, disputando vários torneios sub-20, estreia envolve nervosismo e uma dose a mais de vontade das equipes com estruturas menores. Fatores que fizeram do primeiro tempo um pouco mais disputado em relação à segunda etapa, quando o São Paulo passeou em campo , guardando 6 a 2 com certa facilidade no Cruzeiro do Distrito Federal.

O São Paulo entrou em campo com: Junior, Caio, Walce, Rodrigo e Liziero na defesa. No meio, Cassio, Luan e Igor. Na frente, Gabriel Novaes, Antony e Toró. Na segunda etapa, com a partida definida, Jardine promoveu várias substituições.

Logo aos 7/1T, David do Cruzeiro deu um bico para isolar. O que era para ser um livramento tornou-se um lançamento: Ramon correu muito, pegou a defesa do São Paulo desarrumada, tocou para Carlos Alberto no bico esquerdo da grande área, o garoto ajeitou, olhou e bateu de chapa no ângulo direito do goleiro Tricolor. Golaço.

Mas a vantagem cruzeirense não durou muito, quatro minutos depois, Toró avançou pelo meio, encontrou Igor na entrada da grande área. O meia Tricolor puxou para o meio e bateu rasteiro, no canto do goleiro Avatar.

A partida seguiu empatada até os 29/1T, quando o capitão Tricolor, Luan, aproveitou a sobra de um cruzamento e virou a partida. A partir deste ponto, o jogo ficou fácil para o São Paulo. Antes de fechar o primeiro tempo, aos 45/1T, cruzamento na área do Cruzeiro, o goleiro Avatar errou o tempo da bola, que sobrou nos pés de Toró empurrar para o gol.

Na segunda etapa, aos 4 minutos, Gabriel Novaes dominou e já ajeitou na meia-lua, bateu e colocou no ângulo, outro golaço. O São Paulo abria 4 a 1.

Aos 18/2T, quando o Tricolor já cadenciava a partida, o árbitro vacilou e validou um gol irregular dos meninos do Distrito Federal. Escanteio, o goleiro Júnior do Tricolor não segura na primeira, recupera-se, o zagueiro chuta – mesmo com a bola nas mãos do arqueiro – e coloca a bola para dentro. Gol irregular.

Dez minutos depois, aos 28/2T, outro golaço do São Paulo: Oliveira recebe no bico esquerdo da grande área, ajeita, enfia o pé para marcar no ângulo de Avatar. 5 a 2.

Caberia mais um antes do apito final. Aos 41/2T, Oliveira, que entrou pela caindo pela ponta esquerda, avançou, cruzou na área para Fabinho entrar e guardar, fechando o placar em 6 a 2.

Não deu para o goleiro Avatar, que sentiu o peso da realidade em relação ao São Paulo, com visível superioridade técnica e física.

Ainda que muito cedo e sendo partida de estreia, deu para observar boas movimentações da equipe do São Paulo de Jardine, com grande participação dos meias Luan e Cassio, que não ficaram fixos no meio-campo, chegando constantemente ao ataque, ampliando as opções quando o Tricolor se lança ao campo adversário.

O ponteiro Toró, que geralmente atua pela direita, caiu pela esquerda, mas fez chover sobre o lateral do Cruzeiro/DF, formando uma bola ala com o lateral esquerdo Liziero.

Se um dos principais problemas do Tricolor profissional concentrou-se nas alas em 2017, é bom ficar de olhos atentos a Liziero, que participou bastante da partida, marcando bem e realizando ótimos cruzamentos.

O próximo confronto do Tricolor será contra o Sergipe, sábado, 6 de janeiro, às 21 horas.



MaisRecentes

Nández e o senso de comprometimento no futebol



Continue Lendo

A Xepa do São Paulo em Chapecó



Continue Lendo

Final da Libertadores: partida deveria ser disputada na Argentina



Continue Lendo