Em jogo horroroso, Santos e São Paulo empatam na Vila



Santos e São Paulo proporcionaram uma partida horrorosa. Parecia que estava mais fácil chegar o Natal que o crônometrô apontar o final da partida. De fato, o Santos teve uma chance claríssima de gol, em que Rodrygo, aos 27 do segundo tempo, frente a frente com Sidão, chutou para fora. No mais, a bola sofreu.

+ Acompanhe o Crônicas no Morumbi no Facebook
+ Leia também os blogs do Lance: Gol de Canela | Papo de Boleiro

Sem lateral-direito, Aguirre improvisou com Arboleda. E foi justamente nesse setor que, no primeiro tempo, o Santos investiu bastante e apresentou momentos de abafa, porém, nada que fizesse o torcedor levantar das cadeiras.

Para quem assistiu do sofazão de casa, deu para conversar com a esposa, fazendo a lista do supermercado, deu para ir ao banheiro,  conversar nos grupos de zap, porque dentro de campo o futebol não prendia o olhar.

Para um time que joga no limite, despertou atenção, aos são-paulinos, as saídas de Everton e Rojas, dois essenciais ao esquema de Aguirre.

Em uma partida que não há muito que se comentar, o que fica de saldo final é a soma de um ponto para o São Paulo, que assume a ponta do Brasileirão provisoriamente, com 50 pontos, uma vez que o Internacional, com 49, jogará amanhã, segunda, às 20 horas, na casa da Chapecoense. Resta ao torcedor Tricolor torcer pela Chape para segurar o Inter.

O próximo adversário do São Paulo será o América-MG, no próximo sábado (22), às 16 horas, no Morumbi. Se quiser se manter dentre os primeiros, é óbvio que não se pode nem pensar em empatar.

Se for para escolher o melhor em campo, o melhor foi o cronômetro, que terminou com precisão.



MaisRecentes

Nández e o senso de comprometimento no futebol



Continue Lendo

A Xepa do São Paulo em Chapecó



Continue Lendo

Final da Libertadores: partida deveria ser disputada na Argentina



Continue Lendo