De peito aberto, São Paulo de Profeta vence o Dragão



Pouco importa se o placar foi magro e o Dragão enfrentado encontra-se na escura caverna do rebaixamento e praticamente não tinha poder de fogo. Fato é que o São Paulo foi ao Serra Dourada e conquistou a terceira vitória consecutiva no torneio, por 1 a 0, contra o Atlético Goianiense, chegando a 43 pontos na tabela, podendo até – com a absurda dilatação das vagas – sonhar com a Libertadores.

Dorival armou o Tricolor com Sidão (praticamente foi um expectador privilegiado, assistindo a partir de dentro do campo), Araruna (no lugar de Militão machucado), Arboleda, Rodrigo Caio (que fez boa partida) e Edimar no sistema defensivo. No meio, Jucilei e Petros. Mas à frente, a linha com Hernanes, Cueva, Marcos Guilherme e Pratto no ataque.

O São Paulo, longe de uma grande exibição, mas um time bem postado, domestico o Dragão durante toda partida. Não foi uma partida agradável de ver. Poucas chances de dois times acuados: um que já se declara na segundona; e outro, que luta para se reencontrar na temporada 2017. Foi mais fumaça que futebol.

O resultado do São Paulo foi construído a partir de um contra-ataque, aos 21 do primeiro tempo, quando Cueva pegou a bola, tocou para Petros, que abriu na direita para Pratto cruzar em direção à pequena área e a bola encontrar o peito de Hernanes em direção ao gol. Sem querer ou não, dá para dizer que foi um golaço. Foi de e no peito o gol do São Paulo. Mais um do Profeta, que desde sua chegada carrega o time do São Paulo nas costas. Só mesmo um Profeta para matar o Dragão.

Depois do gol a partida voltou ao seu insosso ritmo normal. O Atlético, um Dragão desdentado e sem poder de reação, não conseguia chegar à meta Tricolor, enquanto o São Paulo ficava postado em campo, seguro, cobrindo os espaço e anulando qualquer investida dos goianos, sempre à espera de outra bola fatal de contra-ataque.

Assim seguiu a partida até o apito final: sem grandes emoções, sem grandes oportunidades para ambos os lados. Ao São Paulo, que até quatro rodadas atrás ainda tentava afastar a sombra do rebaixamento, os três pontos no Serra Dourada iluminaram a pontuação do Tricolor na tabela do Brasileirão.



MaisRecentes

No São Paulo, tudo parece em construção e já é ruína



Continue Lendo

São Paulo é um time que se olha no espelho e não compreende o que vê



Continue Lendo

Bourgeois: “Os clubes brasileiros se tornaram agremiações políticas, que também jogam futebol”



Continue Lendo