São Paulo mantém esperança em Mirrai, mas espera que ele brilhe na Terceira Divisão



Mirrai ao lado de Ademilson, hoje no elenco profissional do São Paulo (Foto: Site oficial)

Mirrai ao lado de Ademilson, que hoje faz parte do elenco profissional do São Paulo (Foto: Site oficial)

Os seis principais reforços do Nacional em seu retorno à Série A3 do Campeonato Paulista (o clube foi campeão da B no ano passado) chegaram a partir de uma parceria com o São Paulo, que topou ceder alguns atletas em nome de mais rodagem e um “choque de realidade” para o grupo “criado a pão de ló”, segundo o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro.

O nome mais badalado desta relação é do meio-campista Mirrai, que já foi a grande esperança tricolor nas categorias de base, tem multa avaliada em R$ 30 milhões, mas sofreu com lesões, não conseguiu aproveitar algumas oportunidades e hoje, aos 21 anos, estava encostado no Centro de Formação de Atletas de Cotia. Ao Diário de São Paulo, o ex-diretor das categorias de base do clube, Marcos Tadeu, chegou a dizer que “ele não evoluiu como se esperava e ficou para trás”.

O São Paulo, agora sob um comando nas categorias de base mais integrado ao profissional, ainda confia no potencial de Mirrai, mas espera que ele consiga chamar atenção defendendo as cores do Nacional. Só assim será possível dar uma nova oportunidade ao jogador fora do “Super 20” ou então emprestá-lo a uma equipe de maior expressão para o segundo semestre – interessados nunca faltaram, inclusive o Cruzeiro, recentemente. Há o entendimento de que Mirrai ainda tem alguns vícios em seu estilo de jogo e também suspeitas de acomodação.

Além de Mirrai, os outros cinco jogadores cedidos pelo São Paulo ao Nacional foram o volante Allan, os zagueiros Polidoro e Valença, o lateral-esquerdo Gabriel e o atacante Bruno Silva, todos até o fim de maio de 2015.

Ao contrário do que se podia imaginar, os meninos de Cotia não foram recebidos como “invasores” pelo grupo do Nacional, que também reúne muitos jovens em busca de espaço, além de alguns jogadores experientes que estiveram na conquista da Bezinha de 2014. O relacionamento no vestiário tem sido saudável, especialmente com Mirrai, titular no empate em 0 a 0 do Nacional com o Grêmio Osasco, nesta quarta-feira.



  • PH TRICOLOR

    Já vi algumas partidas desse jogador e não o vejo como promessa. Pra mim é fraco e não merece todo o esforço do Tricolor.

  • João

    Muito boa essa parceria,
    pois esses garotos precisam de maior experiência para quem sabe almejar algo
    em suas carreiras profissionais.

  • sp fc deveria por ademilson seria um otimo colocar no time de rogerio ceni

  • EDMILSON CRUZ

    Enquanto o são paulo f c não mudar essa mentalidade de que na base o importante e formar a tleta não é ganhar titulos, nunca vai sai um grande jogar desse salão de incompetencia que se chama centro f de cotia ou ..”quando um club ganha titulos de grande importancia como a taça são paulo por exp os garotos futuros craques planejam um dia jogar nesse club e levantar esse titulo” agora se for para perder de 3 para a galinhada achando que ganharia quando eles falasse é agora e ai do outro lado vc ver os muleques da galinhada entrando rachando já na primeira dividida e vibrando como se já estivesse faltando um minuto para comemorar o titulo. chega de tanto homenzinho mole que passa por esse club de tantos HOMENS de muita RAÇA

    • Anderson

      Denilson, Kaká, Breno, Hernanes, Oscar, Lucas…
      Quando esse “salão de incompetência” se tornar competente, sai debaixo…

  • Pingback: Mirrai fazendo gol e Polidoro Jr assediado: a evolução dos meninos de Cotia | "Quem não sonhou?"()

  • Pingback: Base: Parceria com Nacional | @BlogdoSãoPaulo()

MaisRecentes

Destaque na base do Vitória vira exemplo: da superação familiar ao ensino superior



Continue Lendo

Além de dupla Ba-Vi, Bahia oficializa outros dois representantes na Copa São Paulo



Continue Lendo

Vai um veda-porta aí? Não peça ao Mateus Pitbull, pois agora ele joga pelo Atlético-GO



Continue Lendo