Pode não ser nada, mas rodada do Brasileirão mostra vantagem de quem usa mais a base



Pode ser circunstancial, precisa ser relativizado, deve ser apenas uma coincidência, pode não ser nada, pode não ser nada, mas também pode dizer muita coisa. A primeira rodada do segundo turno do Campeonato Brasileiro, disputada neste fim de semana, mostrou um dado pra lá de interessante: dos nove vitoriosos em dez partidas, cinco utilizaram mais jogadores revelados na base que seus adversários, dois igualaram este número com o rival e apenas dois vitoriosos foram superados neste quesito pelo outro time.

Venham comigo: no sábado, o Santos (com cinco pratas da casa) venceu o Avaí (que tinha apenas duas) por 5 a 2. O resultado é simbólico, pelo menos. O Goiás (com três titulares e dois acionados), venceu o Vasco (que só teve uma promessa) por 3 a 0. Para encerrar o dia, o Figueirense (contando com cinco titulares e mais um reserva que entrou) bateu o Sport (com apenas Renê entre os utilizados por Eduardo Baptista) por 2 a 1. Cabia mais…

Bruno Alves fez o primeiro gol com a camisa do Figueira (Foto: Luiz Henrique)

Zagueiro Bruno Alves fez o primeiro gol com a camisa do Figueira contra o Sport (Foto: Luiz Henrique)

No domingão, o Coritiba de Walisson e Luccas Claro bateu a Chapecoense, que não usou nenhum atleta da base, por 1 a 0. Por fim, o Atlético-MG derrotou o Palmeiras por 2 a 1 ao sair jogando com Marcos Rocha, Jemerson e Giovanni Augusto, enquanto o Verdão teve apenas Gabriel Jesus em campo por pouco mais de meia hora.

Os únicos contra-exemplos desta vantagem das equipes que usam mais a base foram o Atlético-PR e o Fluminense, dois dos principais reveladores do futebol brasileiro. Com cinco titulares e mais um reserva, o Furacão foi vencido pelo Internacional, que entrou em campo com cinco pratas da casa e assim terminou. Nem assim foi um absurdo… Já o Flu, de Marlon, Gustavo Scarpa, Marcos Júnior e Rafinha, acabou derrotado pelo Joinville, que viu Paulo César Gusmão usar apenas Cadu e William Pop.

Pode não ser nada, pode não ser nada… mas vai que seja alguma coisa…

Veja os garotos utilizados na 20ª rodada do Brasileirão:

Santos 5 x 2 Avaí
Santos – Gustavo Henrique, Zeca, Thiago Maia, Gabigol e Geuvânio
Avaí – Marrone e Rômulo

Goiás 3 x 0 Vasco
Goiás – Felipe Macedo, Rodrigo e Erik (Murilo e Valmir Lucas saíram do banco)
Vasco – (Jhon Cley saiu do banco)

Figueirense 2 x 1 Sport
Figueirense – Bruno Alves, Marquinhos Pedroso, Dener, Yago Rocha e Clayton (Jefferson saiu do banco)
Sport – Renê

Ponte Preta 0 x 0 Grêmio
Ponte Preta – (Leandrinho saiu do banco)
Grêmio – Walace e Luan (Pedro Rocha saiu do banco)

Coritiba 1 x 0 Chapecoense
Coritiba – Walisson (Luccas Claro saiu do banco)
Chapecoense – Ninguém

Corinthians 3 x 0 Cruzeiro
Corinthians – Fagner e Malcom (Matheus Pereira saiu do banco)
Cruzeiro – Mayke, Charles e Alisson

Flamengo 2 x 1 São Paulo
Flamengo – César e Samir (Luiz Antônio saiu do banco)
São Paulo – Lucão e Rodrigo Caio (Auro saiu do banco)

Internacional 2 x 0 Atlético-PR
Internacional – Alisson, Geferson, Rodrigo Dourado, Eduardo Sasha e Valdivia
Atlético-PR – Sidcley, Otávio, Hernani, Bruno Mota e Douglas Coutinho (Marcos Guilherme saiu do banco)

Joinville 2 x 1 Fluminense
Joinville – Kadu e William Pop
Fluminense – Marlon, Gustavo Scarpa e Marcos Júnior (Rafinha saiu do banco)

Atlético-MG 2 x 1 Palmeiras
Atlético-MG – Marcos Rocha, Jemerson e Giovanni Augusto
Palmeiras – (Gabriel Jesus saiu do banco)



MaisRecentes

Destaque na base do Vitória vira exemplo: da superação familiar ao ensino superior



Continue Lendo

Além de dupla Ba-Vi, Bahia oficializa outros dois representantes na Copa São Paulo



Continue Lendo

Vai um veda-porta aí? Não peça ao Mateus Pitbull, pois agora ele joga pelo Atlético-GO



Continue Lendo