Pode não ser nada, mas rodada do Brasileirão mostra vantagem de quem usa mais a base



Pode ser circunstancial, precisa ser relativizado, deve ser apenas uma coincidência, pode não ser nada, pode não ser nada, mas também pode dizer muita coisa. A primeira rodada do segundo turno do Campeonato Brasileiro, disputada neste fim de semana, mostrou um dado pra lá de interessante: dos nove vitoriosos em dez partidas, cinco utilizaram mais jogadores revelados na base que seus adversários, dois igualaram este número com o rival e apenas dois vitoriosos foram superados neste quesito pelo outro time.

Venham comigo: no sábado, o Santos (com cinco pratas da casa) venceu o Avaí (que tinha apenas duas) por 5 a 2. O resultado é simbólico, pelo menos. O Goiás (com três titulares e dois acionados), venceu o Vasco (que só teve uma promessa) por 3 a 0. Para encerrar o dia, o Figueirense (contando com cinco titulares e mais um reserva que entrou) bateu o Sport (com apenas Renê entre os utilizados por Eduardo Baptista) por 2 a 1. Cabia mais…

Bruno Alves fez o primeiro gol com a camisa do Figueira (Foto: Luiz Henrique)

Zagueiro Bruno Alves fez o primeiro gol com a camisa do Figueira contra o Sport (Foto: Luiz Henrique)

No domingão, o Coritiba de Walisson e Luccas Claro bateu a Chapecoense, que não usou nenhum atleta da base, por 1 a 0. Por fim, o Atlético-MG derrotou o Palmeiras por 2 a 1 ao sair jogando com Marcos Rocha, Jemerson e Giovanni Augusto, enquanto o Verdão teve apenas Gabriel Jesus em campo por pouco mais de meia hora.

Os únicos contra-exemplos desta vantagem das equipes que usam mais a base foram o Atlético-PR e o Fluminense, dois dos principais reveladores do futebol brasileiro. Com cinco titulares e mais um reserva, o Furacão foi vencido pelo Internacional, que entrou em campo com cinco pratas da casa e assim terminou. Nem assim foi um absurdo… Já o Flu, de Marlon, Gustavo Scarpa, Marcos Júnior e Rafinha, acabou derrotado pelo Joinville, que viu Paulo César Gusmão usar apenas Cadu e William Pop.

Pode não ser nada, pode não ser nada… mas vai que seja alguma coisa…

Veja os garotos utilizados na 20ª rodada do Brasileirão:

Santos 5 x 2 Avaí
Santos – Gustavo Henrique, Zeca, Thiago Maia, Gabigol e Geuvânio
Avaí – Marrone e Rômulo

Goiás 3 x 0 Vasco
Goiás – Felipe Macedo, Rodrigo e Erik (Murilo e Valmir Lucas saíram do banco)
Vasco – (Jhon Cley saiu do banco)

Figueirense 2 x 1 Sport
Figueirense – Bruno Alves, Marquinhos Pedroso, Dener, Yago Rocha e Clayton (Jefferson saiu do banco)
Sport – Renê

Ponte Preta 0 x 0 Grêmio
Ponte Preta – (Leandrinho saiu do banco)
Grêmio – Walace e Luan (Pedro Rocha saiu do banco)

Coritiba 1 x 0 Chapecoense
Coritiba – Walisson (Luccas Claro saiu do banco)
Chapecoense – Ninguém

Corinthians 3 x 0 Cruzeiro
Corinthians – Fagner e Malcom (Matheus Pereira saiu do banco)
Cruzeiro – Mayke, Charles e Alisson

Flamengo 2 x 1 São Paulo
Flamengo – César e Samir (Luiz Antônio saiu do banco)
São Paulo – Lucão e Rodrigo Caio (Auro saiu do banco)

Internacional 2 x 0 Atlético-PR
Internacional – Alisson, Geferson, Rodrigo Dourado, Eduardo Sasha e Valdivia
Atlético-PR – Sidcley, Otávio, Hernani, Bruno Mota e Douglas Coutinho (Marcos Guilherme saiu do banco)

Joinville 2 x 1 Fluminense
Joinville – Kadu e William Pop
Fluminense – Marlon, Gustavo Scarpa e Marcos Júnior (Rafinha saiu do banco)

Atlético-MG 2 x 1 Palmeiras
Atlético-MG – Marcos Rocha, Jemerson e Giovanni Augusto
Palmeiras – (Gabriel Jesus saiu do banco)



MaisRecentes

Palmeiras fecha com revelação do interior para disputa de Mundial de base na Europa



Continue Lendo

Promessa santista premiada na Europa tem rodagem na base e se inspira em Zeca



Continue Lendo

Aos 16 anos, zagueiro-artilheiro na Bahia já coleciona títulos pela base do São Paulo



Continue Lendo