Nathan, Matheus Índio, Andrigo, Douglas Baggio… Laboratório profissional, Brasileirão sub-20 começa com poucos gols



Apenas 11 gols foram marcados na primeira rodada do Campeonato Brasileiro sub-20, torneio que ganhou sua primeira edição em 2015 e promete ser um grande laboratório para as equipes principais dos 20 participantes. Em campo, promessas que já haviam tido as primeiras oportunidades no profissional, mas ainda não conseguiram se firmar, a exemplo do zagueiro palmeirense Nathan, titular durante o segundo semestre do ano passado e atualmente sem chances após a contratação de 22 reforços.

Além de Nathan, o Palmeiras também exibe o meia chileno Arancibia, apontado como uma das principais promessas da terra de Valdivia e ainda na reserva do time de Marcos Valadares. Nathan e Arancibia não estão sozinhos na expectativa dos torcedores. Há quem queira ver Zé Guilherme e Gabriel Vasconcelos, Ty, Diego Cardoso, Mucuri, Luiz Henrique, Foguete e Matheus Queiroz, Dione, Hugo Ragelli, Felipe Saturnino, Matheus Índio, Andrigo e Bruno Gomes, Leandrinho, Douglas Baggio ou Gabriel Soares. É aqui que as promessas passam a virar realidade.

Como o chaveamento divide os clubes em quatro grupos de cinco, Fluminense, Ceará, Coritiba e Sport folgaram nesta primeira rodada em que a grande surpresa foi o fato de apenas um visitante ter conseguido vencer: o Bahia. Santos, derrotado pelo Atlético-MG, Corinthians, superado pelo Grêmio, e Internacional, que não conseguiu levar a melhor contra a Ponte Preta, foram anfitriões generosos e complicaram sua caminhada no Brasileirão sub-20.

O torneio tem apenas cinco datas em sua primeira fase. Na prática são quatro partidas, sendo duas em casa e duas fora. Assim, qualquer vacilo pode ser fatal. Que fique a lição.

CONFIRA OS JOGOS DA PRIMEIRA RODADA DO BRASILEIRÃO SUB-20:

CORINTHIANS 1 x 2 GRÊMIO
2/6, no Pacaembu

CORINTHIANS: Zé Guilherme; Léo Príncipe, Rafa Damazio, Rodrigo Sam e Ruan; Fran, Maycon; Rodrigo Figueiredo (Arlindo), Matheus Vargas (Moisés) e Mantuan (Leonardo); Gabriel Vasconcelos. Técnico: Caco Espinoza.

GRÊMIO: Léo; Wesley, Lucas Dias, Denílson e Liverson; Kaio, Iago, Lima e Ty (Rodrigo Ancheta); Tilica (Tontini) e Batista (Matheus). Técnico: Luiz Gabardo Júnior.

Gols: Batista (6/1°T, 0-1), Tontini (21/2°T, 0-2) e Arlindo (23/2°T, 1-2)

1

SANTOS 0 x 2 ATLÉTICO-MG
3/6, na Vila Belmiro

SANTOS: John (Fernando Castro); Patrick, Lucas Veríssimo, Bruno Leonardo e Robson Alves; Diego Gomes (Willians), Murilo Cadina e Caio (Victor Pucinelli); Claudinho, Natan e Diego Cardoso. Técnico: Pepinho Macia.

ATLÉTICO-MG: Rodolfo; Adson, Anderson, Nathan e Leonan; Roldan, Yago (Teixeira), Capixaba e Thalis (Marcelo); Zé Alberto e Felipinho (Mucuri). Técnico: Diogo Giacomini.

Gols: Zé Alberto (34/1°T, 0-1) e Capixaba (18/2°T, 0-2)

7

BOTAFOGO 1 x 1 PALMEIRAS
3/6, no Nilton Santos

BOTAFOGO: Saulo; Diego Ferreira, Rabello, Marcelo e Yuri; Arruda, Mauro (Dierson), Lucas Campos (Rafael) e Leandrinho; Lukinha e Luiz Henrique (Lucas Ribamar). Técnico: Maurício Ferreira.

PALMEIRAS: João Paulo; Lucas Taylor, Lucas Rocha, Nathan e Mateus Muller; Daniel, Ueslei (Flamarion), Matheus Sales e Juninho; Gabriel Leite (Arancibia) e Carlos Vinicius (Everton). Técnico: Marcos Valadares.

Gols: Lucas Campos (34/1°T, 1-0) e Daniel (44/2°T, 1-1)

6

ATLÉTICO-PR 0 x 0 SÃO PAULO
3/6, no Francisco Muraro

ATLÉTICO-PR: Warleson; Breno, José Ivaldo, Marcão e Nicolas; Victor, Kaio (Borges) e Rosseto (Gabriel Leite); Bruno (André), Guilherme Schettine e Juninho. Técnico: Bruno Pivetti.

SÃO PAULO: Lucas Perri; Foguete, Hugo, Roni e Inácio; Matheus Benguelê (Léo Prado), Matheus Queiroz, Vini (David Neres) e Shaylon (Felype Hebert); Luiz Araújo e Paulo. Técnico: André Jardine.

Sem gols

2

CRUZEIRO 0 x 0 GOIÁS
3/6, na Arena do Jacaré

CRUZEIRO: Lucas França; Dione, Fabrício, Bruno Viana e Victor Luiz; Joilson, Wellington (Tiago Souza), Alex (Matheus Santos) e Roni (Alex Sandro); Hugo Ragelli e Andrey. Técnico: Emerson Ávila.

GOIÁS: Eder; Felipe Saturnino, Tulio, David e Jefferson; Matheus Rezende (Carlos Eduardo), Clever, Leo (Yhan) e Danrley; Leonardo de Souza e Edson (Jeferson Garcia). Técnico: Augusto.

Sem gols

3

BAHIA 1 x 0 VASCO
3/6, em Pituaçu

BAHIA: Igor; Flávio, Dedé, Fernandes e Dener; Eder, Wesley (Gabriel Ramos, depois Sávio) e Endrick; Jacó, Mário e Alexsandro (Luan). Técnico: Aroldo Moreira.

VASCO: Gabriel Félix; Bruno Ferreira, Lucas Barboza, Daniel Gonçalves (Kadu Fernandes) e Lorran; Iago Índio, João Victor (Diego Sinhorini), Matheus Isaías e Matheus Índio (Mateus Vital); Gabriel Braga e Emerson Carioca. Técnico: Rodney Gonçalves.

Gols: Flávio (22/2°T, 1-0)

4

INTERNACIONAL 0 x 1 PONTE PRETA
3/6, no CT da Alvorada

INTERNACIONAL: Keiler; Lucas Marques, Eduardo, Eriks e Ebert; Silva (Leandro) e Allan (Junio); Gustavo Ferrareis (Mila), Andrigo e Alisson Farias; Bruno Gomes. Técnico: Ricardo Cobalchini.

PONTE PRETA: Matheus; Vitor Carvalho, Gutierrez, Rodrigo Lobão e Malcoon; Vitor Xavier, Rava e Ian Prado; Vinicius, Wendel e Leandrinho. Técnico: Jorge Parraga.

Gols: Leandrinho (37/2°T, 0-1)

8

FLAMENGO 1 x 1 VITÓRIA
4/6, em Giulite Coutinho

FLAMENGO: Daniel; Thiago Ennes, Léo Duarte, Rafael Dumas e Marquinhos; Ronaldo, Hugo Moura, Lucas e Thiago Santos; Cafu e Douglas Baggio. Técnico: Zé Ricardo.

VITÓRIA: Caíque; Álef, Vinícius, Bruno e Renan; Borges, Gabriel Soares, Eudair (John) e Nickson; Café (Léo Gomes) e Rafaelson (Michel). Técnico: Valnei Pichite.

Gols: Gabriel Soares (25/1°T, 0-1) e Douglas Baggio (35/1°T, 1-1)

9

SEGUNDA RODADA

Terça-feira, 9/6
19h30 – São Paulo x Internacional (Morumbi)
Quarta-feira, 10/6
15h – Ceará x Cruzeiro (Vovozão)
15h – Sport x Bahia (Ilha do Retiro)
15h – Ponte Preta x Fluminense (Moisés Lucarelli)
15h – Coritiba x Flamengo (Janguitão)
15h – Goiás x Botafogo (Hailé Pinheiro)
19h – Vitória x Corinthians (Barradão)
Quinta-feira, 11/6
19h30 – Vasco x Santos (Sao Januário)

Folgam: Atlético-PR, Grêmio, Palmeiras e Atlético-MG



  • – Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. Aqui não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb

  • – Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar- Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. Aqui não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb
    certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. Aqui não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb

  • – Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma – Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. – Todo jogador precisa de moral e de confiança. O Arão chegou em uma situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. Aqui não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb
    não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb
    situação, que nós mesmos não o conhecíamos. Quando nos apresentamos no início do ano, o René deixou claro que a maioria aqui era coadjuvante, mas que tínhamos tudo para dar certo. Um fator fundamental é a união. Todos foram bem recebidos e bem acolhidos. Aqui não tem vaidade. Quem está jogando sempre vai querer dar o melhor. Todos sabem da importância da cumplicidade e do comprometimento para o acesso à Série A. Todos sabem da importância de cada um. O René é o cabeça. Tudo o que o Botafogo fgvsbvsvsbvsb

  • TEMOS DE ENTENDER A SITUAÇÃO FINANCEIRA DO CLUBE, DEIXADA PELO LADRÃO DO ASSUNÇÃO E INCENTIVAR A DIRETORIA,COMISSÃO TÉCNICA,JOGADORES E FUNCIONÁRIOS QUE ESTÃO HONRANDO A NOSSA “PAIXÃO”. NÃO ADIANTA VAIAS, CRÍTICAS DESCABIDAS E SUGESTÕES DE CONTRATAÇÕES MILIONÁRIAS.NOSSA REALIDADE É ESSA E TEMOS QUE CONVIVER COM ELA.REPITO: ESTE TIME, TEM MUITO MAIS ALMA E VERGONHA DO QUE O FORMADO POR MEDALHÕES MAU CARÁTER DO ANO PASSADO.VAMOS ENTENDER O MOMENTO DO CLUBE E TORCER E SE ASSOCIAR!

MaisRecentes

Conheça os quatro pilares do trabalho do Internacional em suas categorias de base



Continue Lendo

Titular da Seleção na base, promessa do Corinthians vive cartilha de ‘novo Pedrinho’



Continue Lendo

Entre os melhores times sub-20 de SP, Água Santa tem camisa 10 que é destaque aos 16



Continue Lendo