Descentralização? Quatro vencedores de Copa estão fora do Mundial sub-20



Os campeões mundiais Itália, Inglaterra, França e Espanha estão fora do Mundial sub-20, torneio que será realizado entre 30 de maio e 20 de junho de 2015. A competição já tem 20 de seus 24 participantes definidos e, com o fim do Sul-Americano, só resta a definição dos participantes do continente africano para fechar a tabela da competição bienal, desta vez realizada na Nova Zelândia.

Os três campeões mundiais da América do Sul – Uruguai, Brasil e Argentina – conseguiram classificação, junto com a forte Colômbia, mas na Europa o panorama da base é diferente, já que os representantes serão os seguintes: Alemanha, Portugal, Áustria, Hungria, Sérvia e Ucrânia. Aumentando a visão, é notável a descentralização também na Ásia, que entrará em campo com Qatar, Myanmar, Coreia do Norte e Uzbequistão. Nada de Japão, China ou Coréia do Sul.

Completam a lista Fiji, da Oceania, Honduras, México, Panamá e Estados Unidos, da Concacaf, além da Nova Zelândia (país-sede) e das quatro africanas desconhecidas – o torneio que define as quatro vagas é o Campeonato Juvenil Africano, que será disputado entre os dias 8 e 22 de março, com oito participantes: Senegal, Nigéria, Congo, Costa do Marfim, Gana, África do Sul, Mali e Zâmbia.

O campeão da África será adversário do Brasil logo na primeira fase, junto com Coreia do Norte e Hungria, no grupo E. Em teoria, o grupo mais difícil do Mundial sub-20 será o C, que tem a ascendente Colômbia, a regular seleção de Portugal, o Qatar, campeão asiático de 2014, e mais uma seleção africana. A Alemanha, que jogou só uma das últimas quatro edições do Mundial sub-20 (mas é atual campeã da Europa), está em um grupo mais fácil, com Fiji, Uzbequistão e Honduras. Veja a nota do LANCE!Net com a divisão dos grupos.

Campeão em 2011, o Brasil volta ao Mundial sub-20 após não participar da edição de 2013, vencida pela França com sede na Turquia. Em 2011, sob o comando de Ney Franco, o atacante Henrique (ex-São Paulo, Sport, Vitória e Bahia, atualmente buscando espaço no Botafogo) foi chuteira de ouro e bola de ouro. Aquele time ainda tinha jogadores como Danilo, Bruno Uvini, Casemiro, Oscar, Philipe Coutinho e Willian José.

O fisco no Sul-Americano sub-20 de 2013, aliás foi o responsável pela chegada de Alexandre Gallo à Seleção de base.



MaisRecentes

Como intercâmbios esportivos viraram alternativas viáveis para jovens jogadores



Continue Lendo

São Paulo assina primeiro contrato profissional com destaque da equipe sub-17



Continue Lendo

Do sonho no futebol ao ‘Jah é gol’: futebol e música na trajetória de Fernandinho



Continue Lendo