Depois de perder camisa 9 para rival, Santos decide não manter outro do sub-20



17554330853_099cb0763d_z
O meia Victor Pucinelli não é mais jogador das categorias de base do Santos. Titular e camisa 10 em alguns jogos do Campeonato Paulista sub-20, o jogador teve o contrato encerrado no último dia 13 de julho e seus representantes não viram no Peixe a intenção de renovar o vínculo por mais tempo.

A saída de Pucinelli, que ainda não tem destino definido para a sequência da temporada, faz parte do processo de reformulação do sub-20 do Santos, eliminado precocemente da disputa da Copa São Paulo de Juniores e do Campeonato Brasileiro da categoria. Antes de Pucinelli, o atacante Claudinho já havia visto o Peixe não fazer muito esforço em nome de sua renovação, o que abriu caminho para que ele iniciasse sua trajetória no júnior do Corinthians.

O LANCE! publicou uma matéria nesta sexta-feira contando o processo de reformulação que vive atualmente as categorias de base do Santos, com maior rigor na entrada de pessoas na Vila Belmiro e na análise de contratos. Dentro de campo, inclusive, o técnico Pepinho Macia tem promovido mudanças nas peças integrantes do sub-20, que conta com seis atletas emprestados por outros clubes.



  • Jader Miguel

    Tem que fazer uma peneira bem fina na base , mas feita por pessoas que conheçam de futebol e que amem o Santos. Não por empresários abutres , como tem muitos oferecendo perebas para ganhar grana, e o jogador de 17 anos já pensa em fazer do SFC um trampolim para Europa. O cara nem sabe se vai ser jogador ou plantador de alface.

  • Aldair

    Vou falar uma coisa que JURO que não é preconceito mas ando sentindo falta de uns moleques DA COR DO BRASIL.Ou seja negros,mulatos e descendentes.Tô vendo muito menino com SOBRENOMES europeus e sinceramente esses moleques NUNCA ralaram a bunda no chão não.Falo isso porque tenho um filho que é bom de bola,jogou nos juniores do Barra Mansa e eu dei conselho pra ele estudar.,mas eu via nos treinos e até nas peneiras do Voltaço a DIFERENÇA dos meninos tipo classe média para os meninos que a gente percebia que eram mais “sofridos” por esse pais FDP.Quando iam na jogada iam com muito mais gana,vontade,prestavam mais atenção nos conselhos…emfim percebi isso e continuo achando que falta mais meninos das periferias nas peneiras.HOJE a maioria são filhinhos de papai que chegam de carrões.Não sou rico,sou classe média isso tirou o peso do filho de não se empenhar o suficiente.Eu fico feliz pois o estudo está acima de quase tudo.

MaisRecentes

Estudioso e focado, Fabrício Oya embarca para primeira competição pela Seleção



Continue Lendo

Equipe de analistas colherá dados e mapeará atletas em competição sub-15



Continue Lendo

‘Felizão’ por monitoramento europeu, goleador da Ponte brinca: ‘Alto, não grosso’



Continue Lendo