Campanha perfeita do Flu sub-20 é baseada em ‘padrão europeu’, diz ‘xerife Nogueira’



16411164336_22fd509d93_zZagueiro titular e capitão do sub-20 do Fluminense na disputa do Campeonato Brasileiro da categoria (o primeiro organizado pela CBF na história), Ygor Nogueira trabalha para repetir os passos de Marlon, que há poucos meses era seu parceiro de zaga na base e hoje é peça importante do elenco que briga pelo G4 no Brasileirão dos profissionais. No clube desde os 12 anos, o camisa 3 do time do técnico Luiz Felipe não tem segredos para explicar a excelente fase do Flu na competição: é tudo planejamento.

Em seis jogos disputados até agora, o Fluminense tem exatamente seis vitórias, que traduzem 100% de aproveitamento refletidos nos seguintes resultados: 3 a 2 na Ponte Preta, 3 a 2 no São Paulo, 1 a 0 no Atlético-PR, 2 a 1 no Internacional, 1 a 0 no Flamengo e 2 a 1 no Vasco. Ao todo, 12 gols marcados e seis sofridos na campanha perfeita que pode ter sequência nesta terça-feira, em um teste de fogo contra o Palmeiras, às 15h, no estádio Martins Pereira, em São José dos Campos.

Para o xerife Nogueira, o que faz a diferença para a base do Fluminense é a perspectiva de utilização no time profissional, no rastro das joias atuais, como Gérson e Marlon.

– Nós temos uma grande expectativa em sermos utilizados. Se não é a hora de atuar no profissional, somos emprestados para outros grandes clubes do Brasil e até mesmo do exterior, e isso ajuda também. O Marlon, por exemplo, é uma inspiração para mim dentro de fora de campo. Ele é um grande amigo que vou levar pra vida toda e torço muito por ele – resume o jovem, em entrevista ao blog.

Quatro meses mais velho que Marlon, Nogueira começou no futebol em um clube que tem o mesmo nome da cidade onde nasceu, o Itaperuna. Aos 12 anos, porém, iniciou a caminhada em Xerém consciente de que ali as chances de colher frutos e se tornar, de fato, um jogador profissional eram mais altas. Estrutura o clube oferece. A partir dali, só depende da dedicação individual.

– A base que o Fluminense nos proporciona é padrão Europeu. Aqui temos todos o suporte necessário para chegar dentro de campo e dar o nosso melhor. Se todas as bases se espelhassem no Flu, tenho certeza que a base brasileira seria ainda mais forte. Exemplo disso é que acabamos de voltar da Europa, onde disputamos dois campeonatos, e agora, temos uma delegação jovem lá, defendendo as cores do clube. Eles são do primeiro ano dos juniores e há pouco venceram o Southampton e o time profissional do Exeter City, então dá certo – diz Ygor Nogueira, já relacionado para treinos do profissional e convocado para Seleções de base, atualmente em seu último ano de júnior.

Erguer a taça do Brasileirão sub-20 pode ser um dos próximos passos do xerife de Xerém, já que restam o Palmeiras (duas vezes), o Vasco, o Flamengo e mais dois jogos de uma suposta final da competição. O plano até lá é manter uma campanha 100% e fazer história. Vai dar?

– Ganhar sempre da moral. Isso em qualquer esporte. A competição praticamente nos obriga a sempre tentarmos sair de campo com a vitória, ainda mais agora que no grupo de quatro times, só o primeiro vai para a final – torce, ainda que timidamente.



MaisRecentes

Família boleira e retomada após lesões: as inspirações de um brasileiro em Portugal



Continue Lendo

Maior torneio sub-17 do Brasil tem primeira semifinal definida: Palmeiras x Flamengo



Continue Lendo

Bahia cria competição sub-13; primeiro ano será regional, mas há projeto de expansão



Continue Lendo