Visão da 13a rodada do Campeonato Brasileiro



(Paulo Sergio/L!Press)

(Paulo Sergio/L!Press)

O líder Cruzeiro tropeçou. Coisa rara para quem tem aproveitamento de mais de 74% no Campeonato Brasileiro. E os mineiros pararam no brioso Botafogo, que além da posição próxima da zona de rebaixamento precisa lidar com o problema de atraso nos salários. O resultado no Maracanã foi inesperado e quem soube aproveitar muito bem o deslize da Raposa foram Flu e Inter.

O Tricolor carioca venceu o Goiás em dia de justa homenagem para Washington e Assis no Maracanã e assumiu a vice-liderança. Fluminense e Cruzeiro se enfrentam na última rodada do primeiro turno.

O Internacional bateu o Santos no Beira-Rio e também subiu. Inter e Flu foram os únicos clubes entre os dez primeiros colocados que venceram nesta rodada do Brasileirão.

O Corinthians fez um jogo arrastado com o Coritiba e perdeu duas posições. A defesa segue intransponível, mas o ataque sem Guerrero não funcionou. Para o Coxa a igualdade foi tão ruim quanto já que a equipe segue na zona de rebaixamento. A degola, aliás, tem um novo-velho lanterna. O Flamengo perdeu para a Chapecoense, a primeira sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, e segue – ao lado do Criciúma – como o clube que não ganhou fora de casa.

A volta para a última posição aconteceu graças ao Figueirense, que conquistou a vitória mais expressiva da rodada ao golear o Sport fora de casa. Os pernambucanos perderam a chance de chegar no G4.

A 13a rodada também serviu para alguns cubes perderem a oportunidade de se recuperaram. O São Paulo desperdiçou dois pontos em casa contra o Criciúma em jogo que não teve a reestreia de Kaká no Morumbi, mas a presença de 46 mil presentes. O meia é esperado contra o Vitória, no domingo.

O Palmeiras foi outro a decepcionar como mandante. Após uma série ingrata, o argentino Ricardo Gareca tinha a chance de emplacar a primeira vitória no torneio nacional, porém empatou com o Bahia. O Verdão soma sete partidas sem triunfos no Brasileirão. Já o Bahia completou uma dezena de jogos sem saber o que é vencer e por isso segue na penúltima posição.



MaisRecentes

Média de amarelos de Felipe Melo é maior do que a de Gabriel Jesus



Continue Lendo