O prazo de validade do poder da palavra



Nesta semana Vasco e Flamengo trocaram os seus técnicos pela terceira vez na temporada. O efeito no Cruz-maltino se fez presente com a vitória no clássico do Milhões logo na estreia de Jorginho, apresentado dois antes do primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. O discurso do ex-lateral foi o de acreditar e ter fé para o time sair da UTI no Campeonato Brasileiro. A situação exige um aproveitamento igual ao de quem luta pelo título.

O revés no Maracanã fez Cristovão Borges perder o emprego. Curiosamente, o ex-treinador rubro-negro já havia sido derrotado pelo mesmo Vasco no primeiro turno do Brasileirão quando do outro lado estava Celso Roth. A situação de Roth era a mesma de Jorginho: fazia a estreia dele no comando do time e menos de dois meses depois já havia sido demitido do cargo.

Quase tão rápida quanto a passagem de Cristovão pelo Flamengo, o clube anunciou Oswaldo Oliveira. Foram seis meses no comando do Palmeiras no primeiro semestre e isso basta para o trabalho ter sido maior do que a média de quatro meses dos comandantes que passaram pelo Fla na gestão de Eduardo Bandeira de Mello.

Bom de papo com os jogadores, Oswaldo terá o primeiro desafio contra o São Paulo, neste domingo no Maracanã. No período em que esteve à frente do Palmeiras um dos melhores jogos aconteceu justamente sobre o mesmo adversário, na vitória por 3 a 0. Caso ganhe e depois classifique a equipe às quartas da Copa do Brasil, será o bastante para análises efêmeras sobre mudança de postura. Fácil para enaltecer quem acabou de chegar e crucificar o antecessor que ocupava o cargo há uma semana.

O círculo vicioso que toma conta das constantes mudanças de comando no futebol brasileiro é baseado no poder da palavra. O problema é que o prazo de validade está cada vez mais curto e no primeiro momento de instabilidade a solução é trocar, trocar e trocar… Por isso que o Brasileirão-2015 chegou na metade com 17 alterações de técnicos na Série A, quase uma por rodada. Somente Sport e Atlético-MG ainda estão com os mesmos treinadores desde o ano passado.



MaisRecentes

Com melhor aproveitamento da Arena, Tite volta ao estádio com a Seleção



Continue Lendo

Média de amarelos de Felipe Melo é maior do que a de Gabriel Jesus



Continue Lendo