O dia em que o futebol sentirá saudades



(Fellipe Gabriel/L!Press)

(Fellipe Gabriel/L!Press)

Existe aquele tipo de jogador de futebol que para e ninguém percebe. Existe aquele que para e o torcedor pelo o time que ele joga lamenta. Existe aquele que para e todos aqueles que gostam de futebol vão sentir a falta dentro e fora de campo. Neste domingo é o caso da última situação quando o árbitro apitar o fim da partida entre Coritiba e Bahia, no Couto Pereira.

Recontar títulos e gols de Alex são desnecessários. Marcantes são algumas de suas atuações e essas ficarão guardadas. Ou alguém esquece o que o camisa 10 jogou na semifinal da Copa Libertadores de 1999 contra o River Plate? Os argentinos tinham a vantagem e naquela noite o meia os colocou no bolso. Foram dois golaços no antigo Palestra.

Meses depois, liderou a Seleção olímpica em Londrina. Jogou muita bola contra Argentina e classificou o Brasil para os Jogos de Sydney. O ouro não veio e nem a chance de disputar uma Copa do Mundo, dois anos mais tarde do outro lado do mundo.

A resposta veio no campo. Em 2003 foi o melhor do país, disparado. Ganhou a tríplice coroa pelo Cruzeiro com direito a gol de letra no Maracanã contra o Flamengo, no Maracanã. No Brasileiro? Fez a primeira da primeira edição dos pontos corridos o seu torneio quase que exclusivo.

Na Turquia, fez os apaixonados por futebol se apaixonarem por ele. O amor foi tanto que fanáticos pelo Fenerbhaçe acamparam na porta de sua casa após o anúncio do adeus.

Nas duas últimas temporadas no futebol brasileiro não se limitou ao gramado. Não teve medo de expor os problemas que limitam o esporte por aqui e em entrevista a este L! fez duras críticas aos “gestores” da bola sem medo de represálias tanto para ele quanto para o Coritiba.

Passou apuros no ano passado contra o rebaixamento e só salvou o clube na última rodada. Em 2014, sofreu um pouco menos e neste domingo terá festa merecida em sua segunda casa.

Quem gosta de futebol agradece por ter tido a chance de ver Alex!



MaisRecentes

Brasil não tinha ataque tão positivo em um início de trabalho desde Telê Santana



Continue Lendo

Goleador do Brasil na Arena, Neymar tenta gol contra rival inédito



Continue Lendo

Daniel Paulista é o quarto técnico demitido na Série A em 2017



Continue Lendo