Igualdade no número de vitórias, gol 500, goleada…. Marcas e curiosidades do Dérbi



Corinthians e Palmeiras se enfrentam neste domingo por uma vaga na final do Paulistão e a partida na Arena tem algumas curiosidades e marcas que podem ser alcançadas. Confira quais são:

Danilo marcou o gol da vitória 120 do Timão no clássico (Reginaldo Castro/L!Press)

Danilo marcou o gol da vitória 120 do Timão no clássico (Reginaldo Castro/L!Press)

Mesmo número de vitórias: O Palmeiras tem uma vitória a mais na história. São 345 jogos (121 vitórias Palmeiras, 120 Corinthians e 104 empates). A última vez que o Dérbi teve empate em números de vitórias aconteceu em 30/3/1969, quando o Timão venceu por 2 a 0, com gols de Benê e Tales, pela primeira fase do Campeonato Paulista. Na ocasião, cada clube ficou com 65 vitórias. Na conta do Palmeiras, o clube incluiu jogos do Torneio Início e aponta 356 partidas (125 vitórias do Palmeiras / 123 do Corinthians /108 empates).

Henrique foi o último a marcar pelo Verdão (Miguel Schincariol/L!Press)

Henrique foi o último a marcar no Dérbi com a camisa do Palmeiras (Miguel Schincariol/L!Press)

Gol 500: O Verdão está a apenas dois de alcançar a marca contra o rival. O maior artilheiro palmeirense do Dérbi é Heitor, com 16 gols. A última vez que o Palmeiras marcou duas vezes no mesmo jogo aconteceu em 2013, no empate por 2 a 2 no Pacaembu, pelo Paulistão. Vilson e Vinicius marcaram. Já o Corinthians marcou 463 vezes.

Desde 1939 o Dérbi não é disputado duas vezes seguidas nas casas de Palmeiras Corinthians

Desde 1939 o Dérbi não é disputado duas vezes seguidas nas casas de Palmeiras Corinthians

Cada um na sua casa: Na primeira fase as equipes se enfrentaram no Allianz Parque e agora o jogo eliminatório será na Arena. Os rivais não se enfrentam em dois Dérbis consecutivos em suas respectivas casas desde 1939. No Estadual daquele ano houve empate por 3 a 3 no Parque São Jorge e depois vitória corintiana por 1 a 0 no Palestra Itália, quando o Verdão ainda era Palestra.

Corinthians não perde há nove jogos do rival (Reginaldo Castro/L!Press)

Corinthians não perde há nove jogos do rival (Reginaldo Castro/L!Press)

Série invicta: O Corinthians não perde o clássico há nove jogos (última vez foi em agosto de 2011, por 2 a 1 em Presidente Prudente). São cinco vitórias e quatro empates.  Dez jogos é a maior sequência que o Timão conseguiu na história, em três oportunidades.  De 1948 até 1951 – sete vitórias e três empates. De 1952 até 1954 – sete vitórias e três empates.  De 1970 até 1973 – três vitórias e sete empates.  A maior série de invencibilidade da história do clássico pertence ao Palmeiras. Entre 1930 até 1934 foram  12 jogos – 11 vitórias e um empate.

Donizete marcou três vezes nos 5 a 2 do dia 19/4/1997 (Agência Estado)

Donizete marcou três vezes nos 5 a 2 do dia 19/4/1997 (Agência Estado)

Mesma data: Corinthians e Palmeiras se enfrentaram apenas uma vez no dia 19/4, data da semifinal deste domingo. Em 1997, o Timão venceu por 5 a 2, no Morumbi, pelo Paulistão. Donizete, três vezes, Marcelinho e Mirandinha marcaram os gols, enquanto Djalminha e Marquinhos descontaram. É a última goleada corintiana no clássico. Já o Verdão, no primeiro turno do Brasileirão de 2004, aplicou o placar de 4 a 0, no Morumbi, com um gol de Vagner Love, hoje no rival. Pedrinho, Munhoz e Rincón, contra, fizeram os outros três.

Na última goleada palmeirense teve gol de Love (Nelson Almeida/L!Press)

Na última goleada palmeirense teve gol de Vagner Love (Nelson Almeida/L!Press)



  • Mauro

    Matéria bem de gambá

    A maior goleada foi Palmeiras 8 a 0.

    • Caio

      Burro. É a última goleada, não a maior.

  • Otavio Palestra

    Matéria de Gambá, tendenciosa, essas contas de vitória são exclusivamente do Corinthians, o Palmeiras tem números diferentes, e como o colega Mauro disse a maior goleada foi de 8×0, pra ser jornalista tem que ser imparcial, tome vergonha

MaisRecentes

Rodada do Brasileirão com tantas vitórias dos visitantes é incomum



Continue Lendo

Desde a estreia na Seleção, Neymar só ficou fora de 20% dos jogos do Brasil



Continue Lendo