‘Intruso’ no penta, Kléberson diz que sua história pode servir de exemplo



Nelson Almeida/L!Press

(Nelson Almeida/L!Press)

 

Luiz Felipe Scolari já esbravejou e garantiu que Oscar segue como titular da Seleção na disputa com Willian. Na campanha do penta, Kléberson viveu situação semelhante ao atual reserva e durante a competição ganhou a posição de Juninho Paulista no meio de campo. Ele começou no banco de reservas, estreou contra a Costa Rica, no último jogo da primeira fase, entrou novamente nas oitavas contra a Bélgica e ante a Inglaterra ganhou a titularidade até a decisão.

Atualmente no Indy Eleven, dos Estados Unidos, o volante de 34 anos está no Brasil e vai acompanhar a abertura do Mundial em Itaquera. Kléberson falou sobre a situação vivida por ele há 12 anos e que pode se repetir.

Qual a semelhança de agora com a sua em 2002?
Eu vivi um momento parecido. Cheguei na Seleção confiante, mas com status que nem jogaria na Copa. Nos treinamentos eu fui demonstrando o meu futebol e quando tive a oportunidade mostrei o meu futebol. É uma história que serve de exemplo para os jogadores que estão lá.

E a disputa entre Oscar e Willian?
É legal porque eleva o nivel e torna-se uma disputa bacana, saudável. Trabalhei em cima das oportunidades.

Lembra como ganhou a chance?
Eu entrei no time porque o Felipão precisava de alguém com as minhas características naquele momento. Por isso eu tive a oportunidade. Ele tinha alguém que marcava e saía para o jogo. Treinava bem e isso também foi fundamental.

Dica para o Willian?
Penso que o jogador precisa fazer o seu trabalho. O Willian tem entrado bem e ajudado o Brasil. A oportunidade que tiver tem que aproveitar. Os jogadores que estão nesse grupo têm uma história muito grande. O Oscar vinha bem e agora tem uma cobrança ainda maior, mas claro que isso é normal. Quem ganha com isso é o Felipão.

Vai estar na abertura da Copa?
Não perco a abertura da Copa por nada! Vou estar torcendo com a camisa, agora que passei a ser um torcedor. Vai ser uma experiência nova. Vou com a minha esposa e meus dois filhos. Fui convidado via CBF. Fiquei muito feliz por ser lembrado nesse momento de Copa do Mundo. É o reconhecimento pelo trabalho.

Vai acompanhar as outras partidas do Brasil?
Gostaria de acompanhar todos os jogos, mas preciso voltar. Como disse a nossa liga não tem a ver com a Fifa e continuamos jogando. Vim para o Brasil resolver uma situação com o meu visto e logo retornarei. Devo viajar dia 16 ou 17 já.

Como está nos Estados Unidos?
Tem sido uma experiência boa. A liga começa a caminhar e O nível não é igual ao de outros países. O soccer tem uma competição com outros esportes mais comentados como basquete, beisebol. O time é novo, primeiro ano que está disputando a competição.

A principal liga é a MLS (Major League Soccer) e você disputa a NASL (National American Soccer League). Eles consideram como uma paralela ou segunda divisão?
Consideram como uma segunda liga que não tem a ver com a Fifa. Parte financeira, contratações são bem diferentes. Posso dizer que é legal por contribuir com a minha experiência e os nossos torcedores têm acompanhado as partidas.



MaisRecentes

Paulistão tem prejuízo em 30% dos jogos após três rodadas



Continue Lendo

Jogos no Allianz Parque turbinam renda do Paulistão



Continue Lendo

Luis Fabiano teve boa média de gols na China e na última passagem pelo São Paulo



Continue Lendo