‘Intruso’ no penta, Kléberson diz que sua história pode servir de exemplo



Nelson Almeida/L!Press

(Nelson Almeida/L!Press)

 

Luiz Felipe Scolari já esbravejou e garantiu que Oscar segue como titular da Seleção na disputa com Willian. Na campanha do penta, Kléberson viveu situação semelhante ao atual reserva e durante a competição ganhou a posição de Juninho Paulista no meio de campo. Ele começou no banco de reservas, estreou contra a Costa Rica, no último jogo da primeira fase, entrou novamente nas oitavas contra a Bélgica e ante a Inglaterra ganhou a titularidade até a decisão.

Atualmente no Indy Eleven, dos Estados Unidos, o volante de 34 anos está no Brasil e vai acompanhar a abertura do Mundial em Itaquera. Kléberson falou sobre a situação vivida por ele há 12 anos e que pode se repetir.

Qual a semelhança de agora com a sua em 2002?
Eu vivi um momento parecido. Cheguei na Seleção confiante, mas com status que nem jogaria na Copa. Nos treinamentos eu fui demonstrando o meu futebol e quando tive a oportunidade mostrei o meu futebol. É uma história que serve de exemplo para os jogadores que estão lá.

E a disputa entre Oscar e Willian?
É legal porque eleva o nivel e torna-se uma disputa bacana, saudável. Trabalhei em cima das oportunidades.

Lembra como ganhou a chance?
Eu entrei no time porque o Felipão precisava de alguém com as minhas características naquele momento. Por isso eu tive a oportunidade. Ele tinha alguém que marcava e saía para o jogo. Treinava bem e isso também foi fundamental.

Dica para o Willian?
Penso que o jogador precisa fazer o seu trabalho. O Willian tem entrado bem e ajudado o Brasil. A oportunidade que tiver tem que aproveitar. Os jogadores que estão nesse grupo têm uma história muito grande. O Oscar vinha bem e agora tem uma cobrança ainda maior, mas claro que isso é normal. Quem ganha com isso é o Felipão.

Vai estar na abertura da Copa?
Não perco a abertura da Copa por nada! Vou estar torcendo com a camisa, agora que passei a ser um torcedor. Vai ser uma experiência nova. Vou com a minha esposa e meus dois filhos. Fui convidado via CBF. Fiquei muito feliz por ser lembrado nesse momento de Copa do Mundo. É o reconhecimento pelo trabalho.

Vai acompanhar as outras partidas do Brasil?
Gostaria de acompanhar todos os jogos, mas preciso voltar. Como disse a nossa liga não tem a ver com a Fifa e continuamos jogando. Vim para o Brasil resolver uma situação com o meu visto e logo retornarei. Devo viajar dia 16 ou 17 já.

Como está nos Estados Unidos?
Tem sido uma experiência boa. A liga começa a caminhar e O nível não é igual ao de outros países. O soccer tem uma competição com outros esportes mais comentados como basquete, beisebol. O time é novo, primeiro ano que está disputando a competição.

A principal liga é a MLS (Major League Soccer) e você disputa a NASL (National American Soccer League). Eles consideram como uma paralela ou segunda divisão?
Consideram como uma segunda liga que não tem a ver com a Fifa. Parte financeira, contratações são bem diferentes. Posso dizer que é legal por contribuir com a minha experiência e os nossos torcedores têm acompanhado as partidas.



MaisRecentes

Aproveitamento do Galo é maior do que os últimos trabalhos de Oswaldo



Continue Lendo

Santos tem prejuízo pela primeira vez neste Brasileiro



Continue Lendo

São Paulo tem liderado os melhores públicos nos últimos anos no Brasileiro



Continue Lendo