Eduardo Baptista e Levir Culpi são os técnicos ‘sobreviventes’ do Campeonato Brasileiro



(Cleber Mendes/L!Press)

(Cleber Mendes/L!Press)

O Campeonato Brasileiro começou com nove técnicos vindos de trabalhos iniciados no ano anterior. Menos de um turno depois, somente dois deles ainda estão empregados nos mesmos clubes: Eduardo Baptista e Levir Culpi. O último a sair foi Argel, que trocou o Figueirense pelo Internacional nesta quinta-feira após pouco mais de um ano em Florianópolis. Com a ida dele para o Colorado são 15 mudanças de comando em 18 rodadas.

Como começou o Brasileirão:

Atlético-MG: Levir Culpi, desde abril de 2014.
Atlético-PR: Milton Mendes, desde abril de 2015.
Avaí: Gilson Kleina, desde março de 2015.
Chapecoense: Vinicius Eutrópio, desde janeiro de 2015.
Corinthians: Tite, desde janeiro de 2015.
Coritiba: Marquinhos Santos, desde agosto de 2014.
Cruzeiro: Marcelo Oliveira, desde janeiro  de 2013.
Figueirense: Argel Fucks, desde julho de 2014.
Flamengo:  Vanderlei Luxemburgo, desde julho de 2014.
Fluminense: Ricardo Drubysk, desde março de 2015.
Goiás:  Hélio dos Anjos, desde abril de 2015.
Grêmio: Felipão, desde agosto de 2014.
Internacional: Diego Aguirre, desde janeiro de 2015.
Joinville: Hemerson Maria, desde janeiro de 2014.
Palmeiras: Oswaldo de Oliveira, desde janeiro de 2015
Ponte Preta: Guto Ferreira, desde agosto de 2014.
Santos: Marcelo Fernandes, desde fevereiro de 2015.
São Paulo: Milton Cruz, desde abril de 2015
Sport: Eduardo Baptista, desde janeiro de 2014.
Vasco: Doriva, desde janeiro de 2015.

Trocas no Brasileirão 2015:

Depois da segunda rodada:
1 – Grêmio: saiu Felipão / entrou James Freitas (interino) e na quarta rodada Roger assumiu.
2 – Fluminense: saiu Ricardo Drubscky / entrou Enderson Moreira

Depois da terceira rodada:
3 – Flamengo: saiu Luxemburgo / entrou: Jayme de Almeida (interino) e Cristovão Borges assumiu na quarta rodada.

Depois da quarta rodada:
4 – Cruzeiro: saiu Marcelo Oliveira (trabalho mais longo do Brasil) / entrou: Vanderlei Luxemburgo

Depois da quinta rodada:
5 – Joinville: saiu Hemerson Maria / entrou Adilson Baptista
6 – São Paulo: saiu Milton Cruz / entrou: Juan Carlos Osorio
7 – Coritiba: saiu Marquinhos Santos / entrou Ney Franco

Depois da sexta rodada:
8 – Palmeiras: saiu Oswaldo de Oliveira / entrou Alberto Valentim na sétima rodada e Marcelo Oliveira assumiu na oitava.

Depois da oitava rodada:
9 – Vasco: saiu Doriva / entrou Celso Roth
10 – Goiás: saiu Hélio dos Anjos / entrou Augusto César e Julinho Camargo assumiu na décima terceira rodada.

Depois da décima segunda rodada:
11 – Santos: saiu Marcelo Fernandes / entrou Dorival Júnior

Depois da décima quinta rodada:
12 – Joinville: saiu Adilson Batista / entrou PC Gusmão

Depois da décima sexta rodada:
13 – Ponte Preta: saiu Guto Ferreira / entrou Doriva
14 – Internacional: saiu: Diego Aguirre / Odair Hellman assumiu interinamente e Argel foi contratado após a décima oitava rodada.

Depois da décima oitava roda:
15 – Figueirense: saiu: Argel



  • anTOnioLIMA

    O Tite não conta?? tão mal de matemática hein,,,

    • exterminadordegamba

      não porque ele não ganha jogo, quem da as vitórias são os juizes,,
      portando com ou sem tite é a mesma coisa…time ridiculo..

      • Eduardo Garrido

        Ridículo é um analfabeto e torcedor de outro time opinar sobre o toime adversário …

      • Gilberto

        kkkkkkkkkkk boa

  • Edmar

    NÃO ADIANTA OS TIMES DO RIO CONTRATAR TÉCNICOS DE RENOME POR QUE OS CLUBES ESTÃO FALIDOS E PRATICAMENTE NEM MAIS EXISTEM. NO TEMPO EM QUE SE AMARRAVA CACHORRO COM LINGUIÇA E O BICHO AINDA MORRIA DE FOME. ATÉ OS NORDESTINOS QUE ASSISTIAM JOGOS PELO RÁDIO E AS RÁDIOS SÓ TRANSMITIAM JOGOS DO RIO ENTÃO TODOS TINHAM UM TIME DO RIO, MAS COM A TELEVISÃO QUE MOSTROU TODO OS ESTADOS O RIO ACABOU. URUBU, PÓ DE ARROZ, BACALHAU E BOTAFOGO JÁ ERAM, ACABARAM, UM BANDO DE PERNAS DE PAU.

MaisRecentes

O prejuízo esportivo e financeiro de não ter o Allianz na Libertadores



Continue Lendo

Henrique Dourado tem o mesmo número ou mais gols do que nove clubes no Brasileirão



Continue Lendo

Único invicto, Corinthians tem cinco jogos para superar marca do Fluminense



Continue Lendo