Duelo de gigantes na semifinal



As duas seleções com mais jogos em Copas do Mundo, mais vitórias, mais gols, mais finais, semifinais e quartas de final. Estas são as marcas de Brasil e Alemanha que se enfrentam na próxima terça-feira no Mineirão.  Além disso tudo, são “só” oito títulos mundiais conquistados.

Jefferson Bernardes/Vipcomm

(Jefferson Bernardes/Vipcomm)

Brasil em Copas do Mundo:
Títulos: 5 (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002)
Jogos: 102
Vitórias: 70
Empates: 17
Derrotas: 15
Gols pró: 220
Gols contra: 92

Brasil nas quartas de final: 17 vezes
Brasil na semifinal: 11 vezes
Brasil na final: 7 vezes

AFP

(AFP)

Alemanha em Copas do Mundo:
Títulos: 3 (1954, 1974 e 1990)
Jogos: 104
Vitórias: 64
Empates: 20
Derrotas: 20
Gols pró: 216
Gols contra: 120

Alemanha nas quartas de final: 17 vezes
Alemanha na semifinal: 13 vezes
Alemanha na final: 7 vezes

 

 

 

 

 



  • Em debate entre jornalista brasileiro e espanhol, este levanta suspeita sobre a morte de Janete Clair e teme que ela seja autora do roteiro da Copa…
    http://blogs.estadao.com.br/500copa/?p=3997

  • Pingback: Opinião: Sem Neymar ainda dá! – Por Guilherme Barbosa | Mega Rádio()

  • geraldo lourenço

    Srs.

    O Neymar é insubistituivel, joga muito, mas muito mesmo, se dividisse a bola um pouco com os companheiros, seria enfim eleito pela Fifa o melhor jogador do mundo.
    O fato é que quando esta bem, esta caracteristica de prender muito a bola é irrelevante, pois a hora que ele quer, vai lá e decide, entretanto por outro lado quando esta mal, mata o time, pois centraliza as jogadas, prende muito a bola e perde a jogada e a possibilidade de outro companheiro dar prosseguimento a jogada e até fazer gol.
    Diante dessa constatação, acredito que a seleção como grupo, time, vai jogar melhor com a ausência do Neymar.

    FORÇA NEYMAR – CRACAÇO DE BOLA E DE PESSOA.

MaisRecentes

Mundial pode fazer Cristiano Ronaldo igualar marca de Pelé



Continue Lendo

Grêmio tenta acabar com hegemonia espanhola no Mundial



Continue Lendo

Gabriel Jesus perde invencibilidade de um ano em jogos oficiais



Continue Lendo