Ano novo com títulos?



Os torcedores de Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos certamente pediram por um 2015 de conquistas. E faz sentido depois da última temporada. Pela primeira vez na história desde a fundação dos quatro grandes que nenhum deles teve a oportunidade de gritar “é campeão!” no ano que passou.

Nem mesmo o Campeonato Paulista, torneio mais fácil para a conquista de algum deles teve jeito. O azarão Ituano levantou a taça vencendo São Paulo, Palmeiras e Santos. Não enfrentou o Corinthians por conta do regulamento, mas acabou o eliminando por estar no mesmo grupo.

Curiosamente, a seca de títulos veio duas temporadas após o Estado de São Paulo praticamente dominar o cenário nacional e internacional. Em 2012, todos ganharam alguma coisa.

Quem teve algum motivo para comemorar foram são-paulinos e corintianos com as vagas na Copa Libertadores. Vale lembrar que em 2014 os paulistas não tiveram um representante na principal competição do continente após 16 anos. Mesmo assim foi pouco para tamanho investimento. E o Corinthians precisará passar pela primeira fase da Libertadores contra o Once Caldas. Outro colombiano pela frente e mesmo com um cenário diferente, sempre é bom se precaver para não haver outro Tolima, versão 2015.

Caso a provável vaga na fase de grupos se confirme, os rivais estarão frente a frente na Liberta pela primeira vez em dois belos Majestosos.

O São Paulo aguarda e se reforça de maneira pontual. O clube não precisou trocar de comando técnico e termina com a melhor base de todos, mesmo com a saída de Kaká. O meia teve importante participação para o grupo só que em campo deixou a desejar nos 24 jogos realizados. Foram apenas três gols em sua passagem.

Santos e Palmeiras começam a temporada de maneira mais discreta. O Peixe até chegou, mas falhou. Foi vice no Paulistão e teve chance real de desbancar o Cruzeiro na semifinal da Copa do Brasil quando estava classificado até a metade do segundo tempo, na Vila Belmiro. No Brasileiro, campanha de mero coadjuvante. Até agora o Alvinegro foi o único dos grandes a não contratar ninguém. Ano novo e esperança de uma gestão nova com Modesto Roma.

A situação mais delicada é a do Palmeiras. Após respirar aliviado no ano do desastroso centenário o Verdão praticamente começa do zero. Já chegaram sete jogadores e o técnico Oswaldo de Oliveira. O caminho da reconstrução será árduo e um dos trunfos pode ser o Allianz Parque. Só que para atrair e trazer o torcedor é preciso montar uma equipe competitiva, algo que não aconteceu no último ano. O terceiro rebaixamento em 12 anos bateu na trave e a esperança é para que o susto sirva de choque.

Com exceção do torneio estadual, o quarteto paulista não entra como favorito nas competições em que irá disputar a partir do mês que vem. A expectativa é para 2015 começar diferente, levando como aprendizado o que aconteceu no ano sem títulos.



MaisRecentes

Centésimo jogo do Palmeiras no Allianz pode ser contra o São Paulo



Continue Lendo

Palmeiras repete maior goleada do Allianz Parque



Continue Lendo

Metade dos dez melhores públicos da Arena Corinthians são de 2017



Continue Lendo