A mágoa de Neymar



Um dos amigos de Neymar que esteve na Rússia acompanhando a Seleção diz que ele ficou muito aborrecido com as críticas e o que considera “inveja e perseguição” da imprensa. Não só da brasileira.

Acha que os críticos foram pesados demais e que não respeitaram os problemas que o atleta enfrentou para participar da Copa, além de terem relevado o fato de ter sido caçado em campo em mais de um dos jogos do Brasil.

Neymar saiu com a fama de mascarado e cai-cai, pelas seguidas simulações, mas também foi criticado por não ter dado a cara a bater quando os canarinhos foram eliminados. Fora o futebol que esteve abaixo do esperado.

Incomodaram ainda as críticas de que teve regalias e de fato teve, vide o hotel em que seu pai ficou (o mesmo da Seleção), enquanto os pais de seus companheiros de equipe ficaram mais distantes.

Queimado no Barcelona, pela forma como se transferiu ao Paris Saint-Germain, e também no PSG, onde não é querido por parte do elenco e da torcida também, o atacante não descarta ida ao Real Madrid. Um dos motivos, aliás, para chegar em silêncio ao Brasil, fugindo da imprensa e da torcida e se manifestando, inicialmente, apenas pelo Instagram.

Neymar não fez uma boa Copa. Bem abaixo das expectativas. Como Messi, diga-se de passagem, e também Cristiano Ronaldo, apesar dos três gols do português na estreia contra a Espanha.

E as críticas e lamentavelmente os memes também, pois estamos na era dos memes, fazem parte do jogo.

Neymar tem que aprender a lidar com tudo isso, algo que não conseguiu até aqui. E a Seleção, a ser menos dependente do astro, que jogou a Copa como se fossem ele mais dez em campo. E talvez na cabeça de Tite fossem mesmo porque, apesar do discurso do jogo coletivo, Neymar continua com uma postura muito individualista. Basta ver sua saída do ônibus, entrada em campo, saída do hotel da Seleção… Era sempre o último… E não por superstição. Porque é a estrela. E ele sabe que é.

Apesar de Edu Gaspar ter dito que é difícil ser Neymar, Neymar gosta de ser assim. Gosta de ser Neymar. Mas que paga um preço por isso, paga. E não poderia ser diferente.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo