O nome da Copa



Neymar, sem dúvida, está sendo o nome da Copa da Rússia.

Pela evolução de seu futebol durante a competição, por estar nas quartas de final enquanto Messi e Cristiano Ronaldo já deram adeus, mas principalmente pela polêmica mundial em relação às simulações.

O cai-cai, que era um assunto que cercava Neymar desde os tempos de Santos e condenado até por Tite na época, quando o treinador dirigia o Corinthians, tem dado muito o que falar e seguirá assim até o final. Ou até que se encerre a participação brasileira, esperemos que no próximo dia 15, disputando a decisão em Moscou.

Se até quem defende Neymar e o considera um craque que de fato ele é está preocupado com o cai-cai do jogador ele deveria ouvir as críticas. Construtivas. E pelo jeito ouviu contra a Sérvia e também contra o México, apesar da polêmica do lance do pisão. Neymar foi teatral demais naquele lance? Sim, foi. Mas e quem deu o pisão? O mexicano Miguel Layún foi covarde ao pisar no brasileiro, no mínimo um amarelo deveria ter recebido, embora tenha recebido o apoio de Juan Carlos Osorio. Osorio, aliás, que mais uma vez mandou mal numa competição e viu o México eliminado nas oitavas de final. Como quase sempre acontece.

A imprensa inglesa segue criticando Neymar, parte da norte-americana também, os dinamarqueses, já eliminados, idem.

Muitos acham sinal de malandragem, o tal jeitinho brasileiro de querer levar vantagem em tudo, a repercussão que Neymar tem causado é mundial e, segundo jornalistas que cobrem a Fifa, acaba influenciando negativamente a arbitragem. Vão na linha de Galvão Bueno no jogo contra a Costa Rica, lembram? O narrador acha que um pênalti só não foi marcado em Neymar porque o atacante exagerou na queda. E talvez seja mesmo.

Neymar está marcado pela arbitragem. Mas não é o único que gosta de simular? O que fizeram os ingleses contra a Colômbia ontem? E o que foi aquele árbitro que deixou os dois times apitarem o jogo? É só Neymar que simula? É só Neymar que quer mandar na arbitragem? Pelo jeito não. Mas o alvo certamente é ele. Que tem sido caçado em campo. Pelo menos foi na fase de grupos e também contra o México. Mas que pode mudar o comportamento ele pode. E deve. Porque não é só quem torce contra que tem reclamado das simulações. Quem torce a favor também. Joga bola, Neymar, porque isso você faz e faz extremamente bem.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo