Bronca em Osorio



Foi, no mínimo, extremamente infeliz o técnico da seleção do México, o colombiano Juan Carlos Osorio.

Culpar a arbitragem e focar toda sua artilharia nas simulações de Neymar para justificar o fiasco que foram os mexicanos no segundo tempo de ontem não era a melhor atitude a tomar.

Foi feio, Osorio, muito feio. Tão feio que depois do jogo o treinador recebeu uma reprimenda de um dirigente da Federação Mexicana de Futebol, que achou que os mexicanos erraram a estratégia na etapa final, sendo surpreendidos pelo Brasil, e que ficaram mais preocupados em tentar desestabilizar os rivais do que em jogar futebol.

Osorio está longe de ser um grande treinador. Tem seus altos no mundo esportivo, como a linda atuação do México diante da Alemanha, Alemanha que depois perderia dos sul-coreanos também, não podemos nos esquecer, mas tem seus baixos também. Baixos, aliás, não. Baixíssimos, como a goleada sofrida diante da Suécia e a atuação na fase final de ontem, quando o México deixou a desejar.

Foi um atleta dele, Osorio, que deu um pisão maldoso em Neymar, Neymar exagerou na reação? A meu ver, sim, mas pior atitude foi a do mexicano, abençoado depois pelo treinador colombiano e que já treinou (e mal) o São Paulo. E que, pelo jeito, não condena a violência no esporte.

Sim, Osorio perdeu grande chance de ficar calado. E Neymar? Fez sua melhor partida na Copa, atuação muito boa, como muito boas foram as de Thiago Silva, Willian e Gabriel Jesus, que jogou como Tite gosta. Para o time.

Que Neymar tem que parar de simular, como fez nos dois primeiros jogos, um papelão, diga-se de passagem, tem, claro, mas ele mudou de postura diante da Sérvia e também diante do México, quando exagerou, a meu ver, em apenas um lance. Mas que recebeu pisão, recebeu.

Que os belgas entrem com outra postura diante do Brasil, mais preocupados em jogar bola, o que sabem fazer bem, aliás, do que em desequilibrar os brasileiros. E que as duas seleções façam um belo jogo. E, claro, que Neymar também fica focado só no em fazer o que sabe. Que não é apitar os jogos.



MaisRecentes

A matemática do futebol



Continue Lendo

A melhor do mundo



Continue Lendo

Aprender a perder



Continue Lendo