Holofotes argentinos



O governo de Mauricio Macri estará ligadíssimo no jogo de logo mais da Argentina contra a Nigéria.

O presidente argentino contava com uma boa atuação da Seleção na Copa para tirar um pouco os holofotes da crise econômico-política que atravessam nossos vizinhos.

A coisa anda muito feia por lá. Ontem começou uma greve de transportes, que afetou não só as companhias aéreas, mas também o sistema de transporte público nacional. Outros setores também deverão fazer greve nos próximos dias. Caos total.

A razão das greves? A expectativa da inflação aumentou, antes era de 15%, agora já ultrapassa os 20%, e os sindicatos exigem reajustes salariais maiores.

Já o dólar disparou, subindo mais de 30% em relação ao peso argentino, Macri teve que recorrer ao Fundo Monetário Internacional, perdeu apoio no Congresso e entrou em pânico.

Contava que a imprensa daria mais atenção à seleção argentina do que à economia, mas não é o que vem acontecendo e o início da Copa de Messi e Cia. só deixou a população ainda mais indignada.

A Associação de Futebol Argentino está tão caótica quanto o governo do país, ninguém respeita o treinador Jorge Sampaoli, que estaria sendo boicotado por parte de seus comandados. Comandados?

O time ganhou sobrevida na Rússia com a vitória dos nigerianos diante da Islândia, é verdade. Apesar de ter um empate na estreia, diante dos islandeses, e sido massacrada e humilhada pelos croatas, caindo por 3 a 0, a Argentina tem chances sim. Chances boas até. Mas precisa vencer hoje a Nigéria de qualquer maneira.

Se a seleção ainda tem esperanças, o mesmo não se pode dizer do governo Macri. Que infelizmente segue ladeira abaixo. Como o de Michel Temer no Brasil. Mas por aqui só se fala de futebol… Uma pena, não? Porque temos problemas muito mais sérios do que os chiliques e o cabelo de Neymar. Ou não?



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo