O emocional, de novo



A CBF digeriu extremamente mal o empate de ontem diante da Suíça.

Antes do início da Copa o coronel Nunes, presidente da entidade, dizia para a Fifa já preparar a taça para entregar ao país, que ganharia o hexa.

O folclórico dirigente à parte, um dos representantes da CBF na Rússia ficou aturdido com a fraca atuação do Brasil e principalmente com o emocional dos jogadores e também de Tite na estreia.

Ele lembrou ao blog que Tite dizia que o Brasil estava pronto para qualquer situação de jogo que se apresentasse, mas não foi o que aconteceu.

O time levou o gol irregular da Suíça e se abateu demais, não esboçando reação e perdendo a cabeça, por ansiedade, com jogadas infantis.

Mesmo o comportamento de Tite chamou atenção. O técnico parecia fora de si, olhando o horizonte, meio perdido antes de a partida começar. Mal comemorou o gol da Seleção, ao contrário do que fazia em amistosos, por exemplo.

A fraca atuação de Neymar, que insistia em jogadas individuais e atrapalhou alguns contra-ataques do Brasil, também foi alvo de críticas.

E o posicionamento da defesa no gol da Suíça, também. Danilo e Thiago Silva, que teria ficado bastante abatido com o resultado, não marcavam ninguém.

Em defesa de Tite o fato de fazer o time reclamar pouco da arbitragem. Que para muitos errou em dois lances importantíssimos contra o Brasil.

Agora é se preparar para a próxima partida, que ganha tons de dramaticidade diante da Costa Rica, sexta pela manhã, no horário brasileiro.

E a lamentar o comportamento bipolar do brasileiro. Antes do jogo o time era o grande favorito para ganhar o Mundial, depois do empate virou uma equipe fraca, mal preparada e abaixo das melhores do mundo. Nem tanto ao céu, nem tanto a…



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo