Críticas ao Verdão



Se um grupo de conselheiros apoiou o presidente Maurício Galiotte nas críticas, no rompimento e no boicote à Federação Paulista de Futebol, irritados que estavam com a arbitragem na final do Paulistão (ou Paulistinha, como diz o dirigente), outro tomou posição diferente.

Seis conselheiros levaram à direção do Verdão reclamações contra o trabalho de Alexandre Mattos, diretor de futebol que mais uma vez teria errado nas contratações para 2018, assim como se equivocara na formação do elenco no ano passado (e naquela ocasião também na montagem da comissão técnica).

Os seis reclamam ainda da atitude de Galiotte, que ao mirar na arbitragem e na federação estaria tentando tirar o foco da fraca atuação do Palmeiras na final.

Eles tampouco gostaram do desempenho do time ontem, diante do Boca, jogo em que o Palestra pouco criou e marcou apenas no finalzinho, para levar o gol de empate logo depois, justo do ex-corintiano Tévez.

Os conselheiros acham que o Palmeiras, apesar de não ter poupado dinheiro nas contratações, vem jogando aquém do esperado e que não teria um time titular mais forte do que o do Grêmio, por exemplo.

Estão irritados com o desempenho do meio-campo e com o posicionamento da defesa. Também reclamam de Lucas Lima, que não estaria correspondendo e ainda perdeu pênalti na final contra o Corinthians.

Acham também que não levam a nada os ataques da torcida à Rede Globo e à imprensa em geral e que o time não vem sendo perseguido, apenas jogando abaixo do esperado.

Lamentam ainda o estado emocional do grupo, que não estaria sabendo lidar com as pressões e teria entrado na pilha de Galiotte, a de “todos contra nós”. Resultado viu-se ontem, no Allianz, quando não rendeu o que pôde.



MaisRecentes

Cânticos brasileiros



Continue Lendo

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo