Disputa pela Seleção



A CBF pretende mesmo realizar em agosto concorrência pelos jogos do Brasil. Quer vende-los em variadas mídias, incluindo TV aberta e fechada, rádio, internet e redes sociais.

À venda estarão não só os amistosos da Seleção até 2022, mas também os direitos das eliminatórias para o Mundial do Qatar.

Além da Globo, que deve entrar na disputa, o Esporte Interativo mostrou interesse nos jogos. O canal pertence ao grupo Turner, que é da Time Warner e passou o mês de maio em fortes negociações de fusão com a AT&T, controladora no Brasil da operadora Sky.

Mas, mesmo com a concorrência pelos amistosos, a CBF não descarta manter o modelo dos dois amistoso na Austrália (revés para a Argentina e goleada contra os australianos) em que as partidas não foram exibidas pela Globo. Em TV aberta elas passaram no Canal Brasil e na TV Cultura, o UOL transmitiu pela internet, a Vivo para assinantes pelo celular e a CBF em sua página no Facebook.

Na avaliação da confederação, apesar de a Globo ter deixado meio de lado a Seleção em seus noticiários, ao contrário do que costumava fazer em outras ocasiões, trata-se de uma inovação que vai dar resultados a médio/longo prazo.

Eu, particularmente, não tenho opinião formado pelo novo modele de distribuição dos jogos, mas achei a produção, apesar de ser fã do narrador, “oficial” demais. Inclusive em relação ao campo… Um funcionário da entidade vai fazer pergunta um pouco mais pesada para um atleta da Seleção? Tenho minhas dúvidas… São muitos interesses em jogo. E que ainda vão dar o que falar…



MaisRecentes

Revolta corintiana



Continue Lendo

Pela saída de Levir



Continue Lendo

Apoio a Jô



Continue Lendo