Grupo rachado



Apesar de todos os desmentidos oficiais, as informações do vestiário do Palmeiras dão conta de que o grupo está rachado, sim. E Eduardo Baptista vem sendo duramente criticado por uma ala da direção do Verdão justamente por isso: não teria pulso para controlar as estrelas.

Só para a atual temporada foi contratada uma dezena de reforços, alguns dos quais não falam literalmente e metaforicamente também a mesma língua.

Parte da cúpula palmeirense reclama do esquema de jogo do time, da falta de pegada de alguns jogadores, dos laterais… E acha que o treinador tem que sair após as duas próximas partidas pela Libertadores, sejam quais forem os resultados.

Outra parte, porém, acredita que o treinador tem qualidades e deve ser mantido, não podendo ser sacrificado pelo “apagão” no jogo de ida das semifinais do Paulista diante da Ponte. Lembra que o time está forte na Libertadores, se bem que venceu dois jogos no sufoco, o último com um gol aos 54min do segundo tempo.

Vamos ver o que acontece hoje em Montevidéu. A sorte, pelo menos a de Eduardo Baptista, que tem que mater um leão por dia, como boa parte dos técnicos no Brasil, de fato está lançada.



MaisRecentes

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo

Deuses da Bola



Continue Lendo

Galo pega fogo



Continue Lendo