Santos na bronca



A diretoria do Santos está irritada com a Globo, a Federação Paulista de Futebol, a CBF e a Polícia Militar. Acha que os outros três grandes do Estado de SP têm levado vantagem sobre o time da Vila no tocante à uma série de pontos.

Um deles é a transmissão por TV aberta. A cúpula do Peixe acha que a Globo dá preferência a Corinthians, São Paulo e Palmeiras e deixa a equipe do litoral em quarto plano. Queria que seu jogo de ontem, 3 a 1 diante do Novorizontino, fosse exibido pela TV. Foi, afinal, a partida que deixou o Santos em primeiro de seu grupo. Mas a partida transmitida em TV aberta foi a da Ponte, que acabou em segundo da chave, contra o Palmeiras, que já estava classificado e terminaria a etapa de grupos como o detentor da melhor campanha.

Com menos exposição no noticiário da TV aberta (e muitas vezes na fechada também) o Santos reclama de menor exposição a seus parceiros. Não por acaso fechou contrato com o Esporte Interativo a partir de 2019 para ver se as coisas mudam um pouco.

Em relação à FPF, à CBF e à PM a reclamação é que a prioridade é para os três grandes da capital na marcação de seus jogos em casa. Eles concorrem com os que o Santos gostaria de marcar no Pacaembu e não consegue por já haver outra partida na capital paulista e/ou por dificuldades de a polícia deslocar um efetivo para dar segurança aos jogos do Peixe.

O Santos pretende marcar uma série de jogos da Libertadores e do Brasileiro para o Pacaembu, mas tem tido dificuldades para definir as datas, já que fica na dependência dos de Corinthians, São Paulo e Palmeiras.

A ideia do Peixe é revezar, inclusive por interesses comerciais, suas partidas entre o litoral e a capital. Tem conseguido, mas muito menos do que gostaria.

Volto a postar na próxima segunda (3). Desde já um bom final de semana a todos e até lá, João Carlos



MaisRecentes

O contrato de Felipe Melo



Continue Lendo

Naming rights em 2019



Continue Lendo

Zé Ricardo sob desconfiança



Continue Lendo