Disputa pela Libertadores



O aumento do número de vagas para o Brasil na Libertadores tem gerado muita discussão entre clubes, federações e a própria CBF. A avaliação inicial é que ampliar o G-4 para G-6, dando seis vagas para o torneio continental via Brasileirão, enfraquece o torneio, já que tira um pouco da graça da briga antes tão acirrada pelas primeiras posições, ampliando muito o leque de possibilidade de classificação.

Duas das seis vagas, portanto, a partir do ano que vem, podem ter um outro destino, como ficar com o vice da Copa do Brasil, não só com o vencedor, hipótese levantada pela cúpula da CBF, e com o ganhador da Copa do Nordeste, como querem os times da região.

Essa última alternativa, no entanto, gera controvérsia, pois os grandes do Sul e Sudeste já se posicionaram contra, dizendo que seria um privilégio indevido aos times nordestinos.

Mesmo a hipótese de premiar também o vice da Copa do Brasil é contestada por alguns que acham que isso tiraria o brilho da final.

O fato é que ainda não se sabe o que fazer, a partir de 2017, com as duas vagas a mais. Porque concentrar meia dúzia no Brasileirão, como acontecerá agora, também não é consenso e há até quem defenda que o campeão da Série B tenha direito a um lugar no torneio.

O certo é que, até ser fechada uma posição, teremos muita discussão. Muita celeuma. Muita polêmica à vista, enfim.



  • Gil Carvalho

    Faz um g4 e decide as ultimas duas vagas em mata-mata 5º x 8º 6º x 7º, ida e volta.

MaisRecentes

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo

Verdão aflito



Continue Lendo