A crise do Inter



Conselheiros do Inter andam extremamente irritados com a diretoria. Reclamam especialmente de empréstimos bancários contraídos, hoje na casa dos R$ 50 milhões, do adiantamento de receitas e da administração caótica do departamento de futebol.

Boa parte deles acha que Celso Roth deveria ter sido demitido há um bom tempo, ou melhor, nem deveria ter sido contratado. Pedem a cabeça do treinador e uma solução de emergência para tentar escapar do rebaixamento no Nacional.

Nas últimas rodadas do Brasileirão os gaúchos tiveram derrotas vexatórias para Vitória e América-MG, além de caírem diante do Galo, e pela Copa do Brasil foram derrotados pelo Fortaleza e também pelo Santos, ontem, no jogo de ida das quartas de final.

Roth saiu comemorando e dizendo que viu um futebol mais consistente de sua equipe, que pelo menos marcou um gol fora de casa (perdeu por 2 a 1).

Seijas e Nico, que atuaram na Vila, para muitos têm que ser titulares do Inter.

Além da pressão de conselheiros existe a da torcida, que na última segunda foi ao CT colorado exigir uma melhora por parte de jogadores e comissão técnica e chegou a estourar bombas no local.

A diretoria tem dito que se trata de uma fase ruim, reclama de aporte que teve que fazer para a reforma do Beira-Rio para a Copa de 2014, o que teria prejudicado as finanças do clube, e pede o apoio de todos nessa hora difícil, já que sábado o compromisso é contra o Figueirense, outro candidato à degola.



MaisRecentes

Não vai ter Copa?



Continue Lendo

O escândalo de Platini



Continue Lendo

Fernando Diniz na berlinda



Continue Lendo