A saída de Denis



Um grupo de conselheiros segue pressionando a diretoria são-paulina e dizendo que Denis não tem condições de seguir na equipe. Que não sabe sair do gol.

No Tricolor desde 2009, o goleiro tem contrato até agosto, que a direção diz que será renovado, embora esteja sendo questionada sobre as qualificações do atleta.

Dentro da própria diretoria há divergências sobre Denis, que não passaria a segurança necessária para a defesa e tem falhado seguidamente.

Contra o Strongest, na Bolívia, recebeu cartão bobo no primeiro tempo, falhou feio no gol adversário e ainda foi expulso por uma atitude infantil no final do jogo. E ó que era o capitão do time…

Para piorar, não assumiu de imediato o erro no gol boliviano, responsabilizou a defesa, depois voltou atrás, mas insiste, o que é verdade, que não falhou sozinho. Mas suas declarações só irritaram os companheiros de equipe.

Sem Denis, suspenso para o jogo contra o Toluca, no Morumbi, o de ida do Tricolor nas oitavas da Libertadores, o clube fica sendo Renan Ribeiro, ex-Galo, recuperado de cirurgia no apêndice, mas que não vinha ficando nem no banco de reservas e estaria acima do peso.

Os outros dois nomes para o gol são considerados inexperientes pela direção: Léo, que vinha ficando no banco, e Lucas, de apenas 18 anos, revelado pela base.

Para o Brasileirão a tendência é apostar em Renan como titular ou buscar um goleiro em outro lugar. Uma possibilidade é em Campinas, onde João Carlos tem defendido bem o gol da Ponte.

Os próximos dias e os próximos dois jogos certamente serão decisivos. Para definir essa questão e também a classificação ou não do time para as quartas de final. Em caso de eliminação, a coisa volta a ficar feia pelos lados do Morumbi. A conferir.



MaisRecentes

Seleção no divã



Continue Lendo

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo