Pelé na Olimpíada



A CBF deve convidar Pelé para chefiar a delegação brasileira de futebol na Rio-2016.

A ideia, que partiu de Marco Polo Del Nero, é chamar um nome de peso que tire um pouco da pressão sobre os jogadores que disputarão os Jogos e tentarão o inédito ouro para o futebol brasileiro, única conquista que falta para a modalidade.

Seria uma forma também de tirar os holofotes da cúpula da entidade, alvo de investigações da Justiça que levaram a CBF à maior crise de sua história. Tanto que José Maria Marin está há quase nove meses preso no exterior e Del Nero acabou se licenciando da presidência e colocando em seu lugar o coronel Antônio Nunes, o famoso “quem?”.

No ano passado, inclusive para criar um fato novo, mas também por não estar gostando do trabalho de Dunga, a ideia era demitir o técnico e colocar Tite em seu lugar. Mais preocupado com as investigações do FBI, porém, Del Nero acabou não se mexendo, pelo menos quando o assunto é Seleção e Dunga acabou ficando.

Para os Jogos de agosto, portanto, a comissão técnica deve ser mantida e a novidade seria o convite a Pelé.

Segundo assessores do Atleta do Século, porém, até agora não houve nem sondagem. Caso ela venha a tendência é dizer não, já que o ex-jogador enfrenta problemas de saúde, tanto que nem pôde desfilar na Sapucaí, quando a Grande Rio fez homenagem à cidade de Santos.

Pelé, com ou sem a Seleção, deve ser um dos grandes homenageados na cerimônia de abertura dos Jogos. E aí sim, tendo condições, irá comparecer com toda a honra, asseguram seus interlocutores mais próximos.



MaisRecentes

Verdão vai às compras



Continue Lendo

Contas corintianas



Continue Lendo

Timão em 2018



Continue Lendo