Nova eleição na CBF



Dirigentes de clubes da Primeira Liga, reunindo times do Sul, de Minas e do Rio, começam a articular a queda de Marco Polo Del Nero, que não teria condições de continuar na CBF, alvo de investigações do FBI e impedido que se sente de sair do Brasil.

A ideia é que ele não siga licenciado da presidência, mas peça demissão do cargo, assim como todos os seus vices, inclusive o coronel Antonio Carlos Nunes, que ocupa seu lugar.

Com a renúncia coletiva, as agremiações querem que a CBF tenha novas eleições e pretendem lançar o nome de uma dos presidentes de clube da Primeira Liga e não mais presidente de federação.

Delfim Peixoto, que comanda a federação catarinense e é um dos idealizadores da liga, é um obstáculo, pois sonha com o comando da CBF.

Del Nero e o coronel Nunes, porém, não querem deixar a CBF e se o fizerem a ideia é que Rubens Lopes, presidente da Federação do Rio, seja candidato em possível novo pleito. O dirigente não tem apoio de Flamengo e Fluminense, que fazem parte da Primeira Liga, mas conta com o de Botafogo e Vasco.

Seja como for não há condições de a entidade manter a atual estrutura, sem democracia e transparência e muito menos diálogo com clubes, atletas, profissionais do esporte, governo e sociedade civil. É preciso mudar e mudar logo…

Ah! E vale lembrar, por que não?, que o atual presidente foi eleito em 2014, antes da Copa do Mundo, para assumir apenas em 2015, sem que o resultado do Mundial influenciasse sua eleição. Seu vice mais velho, hoje o coronel Nunes, na ocasião era José Maria Marin, preso no exterior desde maio do ano passado…



MaisRecentes

São Paulo em parafuso



Continue Lendo

Conversas com um jovem…



Continue Lendo

Lucas Lima abalado



Continue Lendo