SP na liga



A união de clubes do Rio, Minas, Rio Grande do Sul e Santa Catarina deve chegar logo a São Paulo. Contatos entre Alexandre Kalil, que presidiu o Galo e hoje comanda a liga, e dirigentes paulistas têm sido mantidos há tempos.

O Santos gostaria de disputar a liga já no ano que vem, concomitantemente com o Paulistão. Como investe firme nas categorias de base acha que teria um bom time para cada um dos torneios e daria uma chance para os mais novos aparecerem.

A diretoria santista vê com bons olhos a ideia da liga, que pode e quer se tornar nacional, diminuindo o espaço da CBF, cuja credibilidade hoje é zero.

O São Paulo também foi contatado e Carlos Miguel Aidar viu a iniciativa com simpatia, mas hoje tem mais problemas internos do que nunca e está preocupado em se manter no cargo antes de qualquer outra coisa.

O Palmeiras, que tem boas ligações com a Federação Paulista de Futebol, contrária à liga, e a CBF, deve ficar de fora, seguindo Botafogo e Vasco, que se aliaram à Federação do Rio, também refratária à ideia.

Já o Corinthians teme que a liga possa enfraquecer sua posição na hora de negociar direitos de TV e tem medo de uma rebelião contra as cotas maiores que recebe da Globo, assim como acontece com o Flamengo, que, apesar do receio, entrou no grupo, inclusive porque não se dá com a Federação do Rio.

Seja como for é bom ver os clubes brasileiros se mexendo e tomando uma posição. Não podem falar amém a tudo o que dizem as federações e a própria CBF, mais preocupadas com seus próprios interesses do que com as agremiações que deveriam ser a base do futebol brasileiro. E dar as cartas, algo que não acontece atualmente.



MaisRecentes

Nova caminhada



Continue Lendo

O desabafo de Cuca (ainda)



Continue Lendo

As críticas de Cuca



Continue Lendo