A TV insatisfeita



Não é de hoje que executivos da Rede Globo reclamam do formato do Brasileirão, disputado em pontos corridos.

Detentora dos direitos de TV do torneio, a emissora acha difícil animar o público e atrair sua atenção sendo que, no que se refere à disputa pelo título, o Corinthians disparou na frente há tempos, tirando muito da emoção do torneio.

Em 2011, com o próprio Corinthians, já fora assim. Em 2012 o mesmo se deu com o Fluminense. E nos dois últimos anos, 2013 e 2014, foi a vez de o Cruzeiro abrir larga vantagem, deixando o torcedor conhecer o campeão rodadas antes do final.

Com o Timão bem à frente do Atlético-MG, o segundo colocado, a Globo tenta chamar atenção para a briga por uma vaga na Libertadores. Mas as três primeiras parecem certas nas mãos de Corinthians, Galo e Grêmio. Resta a quarta, essa sim alvo de disputa interessante, mas que depende também da Sul-Americana.

Resta também a briga para ver quem vai cair, quem vai se safar, que a Globo não acha das mais interessantes. Preferia que a atenção se concentrasse mesmo na parte de cima da tabela.

Insatisfeita, tem apoio de metade dos clubes da Série A que veem com interesse a volta do mata-mata para 2017. É uma ideia que a CBF irá debater e eu, particularmente, espero que não saia do papel. Porque o torcedor entendeu os pontos corridos e hoje presta atenção em cada partida, inclusive no Z-4, sim. A própria reação do Vasco, que vem reagindo bem e pode fazer o milagre de escapar da degola, é assunto de bares e botequins. E no sistema mata-mata já temos várias outras competições, como os Estaduais, a Copa do Brasil, a Libertadores e a Sul-Americana. É bom variar um pouco, não?



  • Matheus Francisco

    Acho o debate e o momento de conversar válido.
    Particularmente prefiro o mata-mata, mas vejo as virtudes de pontos corridos também.

    Deixar aberto o espaço para debater é válido.

    • janca

      A discussão é sempre válida, mas para o Brasileirão prefiro os pontos corridos. O público entendeu o formato e tem comparecido para ver os jogos dos times que estão na ponta e dos que estão lá embaixo, vide ontem o jogo da Chapecoense diante do Palmeiras. Estádio lotado em Santa Catarina. E vejo emoção na parte de baixo da tabela também. O Vasco e seus torcedores que o digam. O clube segue lutando com tudo pra escapar da degola. E tem gerado fortes emoções.

  • SrBlack

    o Problema não é formula do campeonato .
    o problema é a falta de confiança na CBF , no STJD , nos juizes e o nivel tecnicos dos times
    precisa limpar a CBF ,reformular o STJD deixando de ser um tribunal politico , profissionalizar os Juizes , usar imagens de tv em lances polemicos sendo uma pessoa fora do estadio estilo NFL q analisara a situação para evitar pressão , outra coisa q poderiam copiar da NFL é q juiz explica q falta marcou em microfone aberto para o estadio inteiro na hora q marcou , ai acaba as duvidas sobre o q foi marcado e depois não pode mudar na sumula e mandar a FIFA catar coquinho.

    Mudar calendário ,fazer uma boa pre-temporada ,cartolas pararem de gastar com pernas de pau e cobrar tecnicos para usarem jogadores da base e não caneludos de amigos empresários , ai o ibope vai voltar a subir.

    • janca

      A falta de credibilidade da CBF atrapalha mesmo. E que o calendário tem de ser reformulado estamos de acordo. Mas infelizmente as federações, pelo jeito, não querem. E os clubes, que deveriam se mexer, pouco fazem para lutar contra o sistema viciado que temos no futebol.

  • Pedro

    Janca, as vezes eu vejo a discussão sobre a queda da audiencia (e não só do futebol),pelo menos externamente, querem jogar toda a culpa em uma única explicação, neste caso a fórmula do campeonato. Quando tem que se pensar no aumento de opções para se assitir jogos (de diversos campeonatos) do telespctador, na própria televisão e via streaming.

    Acredito que a qualidade importa mais que o formato do campeonato. Por exemplo eu gosto de futebol, mas entre ver um jogo que não é do meu time no brasil ou um jogo qualquer do exterior muitas vezes opto pelo exterior, independente do formato do campeonato deles, ou de quem vai ser campeão.

    • janca

      Claro que a qualidade conta muito, mas no exterior também temos jogos pavorosos, como alguns que vi do Português ou do Francês pra ficar só em dois campeonatos. Quando falamos em Espanha pensamos no Barcelona e nos dois times de Madri. Mas e os demais? Tem cada joguinho fraco por lá também… Fora que aqui o equilíbrio entre as forças pelo menos é maior.

MaisRecentes

Alerta a Raí



Continue Lendo

Os erros do Verdão



Continue Lendo

Vencer ou vencer



Continue Lendo