A pedida são-paulina



Pelo jeito o São Paulo desistiu mesmo de conseguir novo patrocínio por R$ 25 milhões a R$ 30 milhões como queria no ano passado.

Com dificuldades para ter um patrocinador máster o clube já negocia na casa de R$ 18 milhões anuais e reclama da crise econômica que vive o país, crise bem complicada, aliás, para justificar a falta de interesse de grupos privados. E agora do governo também, já que a ordem em quase todos os cantos é reduzir gastos.

Enquanto não acerta a questão do marketing e do patrocinador principal para a temporada 2016, que está logo aí, o clube deve tentar parceiros pontuais especialmente para a Copa do Brasil, em que está nas quartas de final. O adversário? O Vasco.

É a mesma estratégia usada pelo Santos, que tem feito acertos pontuais para o torneio, como aconteceu nos jogos contra o Corinthians, aliás, quando venceu por 2 a 0 em casa e por 2 a 1 no campo dos rivais.

Já que a maré está complicada o jeito, além de reduzir a pedida, é partir para soluções criativas. E o exemplo dado pelo clube da Vila Belmiro não deixa de ser interessante.



MaisRecentes

Seleção magoada



Continue Lendo

O emocional, de novo



Continue Lendo

A cabeça de Neymar



Continue Lendo