Um ano depois



Passado um ano da pior derrota da história da Seleção Brasileira, o então presidente da CBF está preso, aquele que era seu vice mais velho segue no poder, Luiz Felipe Scolari foi para o futebol asiático, Carlos Alberto Parreira continua achando que descobriu a pólvora e o futebol nacional vai de mal a pior.

Tivemos um ano perdido, com a Seleção principal nas mãos de Gilmar Rinaldi, conhecido por ter empresariado uma série de jogadores, e Dunga, de volta ao comando do time depois de praticamente nada ter feito de 2010 a 2014.

O Brasileirão pra variar repleto de jogos ruins tem, agora, como um dos destaques o Grêmio. Nas mãos de Roger Machado, que ao assumir o lugar de Felipão deu outra cara ao time. Apresenta um futebol compacto, de muita marcação, inclusive da saída de jogo do adversário, e troca de bola, finalizando muitas vezes a gol.

De resto tivemos a Copa América e mais um fiasco, eliminados que fomos pelo Paraguai, que depois levaria de seis da Argentina, e fora de campo mudança nenhuma. A estrutura continua a mesma, a base largada, os clubes desunidos, a CBF nas mãos do mesmo grupo de antes e o Bom Senso sem a força dos primeiros momentos que teve em 2013. Um retrato triste que precisa mudar. Mas quando?



MaisRecentes

Galo pega fogo



Continue Lendo

Cornetas no Palestra



Continue Lendo

Grêmio ainda reclama



Continue Lendo